Cartas a Maria – jul/14

Cartas-de-amor-para-mi-esposoDe um Pai
Av. Paternal, 33
201407-24

A sua amada
filha, Maria
Rua do Infante, 00

São Gonçalo, 24 de julho de 2014.

Assunto: Sobre a finalidade destas cartas – PREFÁCIO

Minha querida e muito amada filha,

Alguns amigos próximos me questionaram se eu iria escrever algo sobre o seu nascimento, afinal és meu terceiro filho, ou melhor, minha princesa. Informei-os, que venho escrevendo cartas, que estão se transformando quem sabe em um livrinho, por hora intitulado “Cartas a Maria”.

Aguçada curiosidade surgiu, e fui logo impelido a relatar o conteúdo das cartas. Gostaria de partilhar com todos algumas reflexões destes meses de gestação, e publicá-las em mídia não impressa. Quem sabe poderíamos levar nossos amigos (católicos ou não) a refletirem um pouco conosco sobre alguns temas relevantes da vida, não é verdade?

Após uma semana de reflexão, e de seu nascimento, meu coração falou mais forte, e decidi partilhar a cada semana, na quinta-feira (dia em que nasceu), uma das cartas escritas no período gestacional, e no término destas, publicarei outras mensalmente até seu primeiro ano de idade.

Poderá um dia me perguntar a intencionalidade destas cartas. Adianto a resposta  (contudo quando quiser poderá me perguntar e ouvir-me respondendo em voz alta) que escrevo para apresentar a ti e seus irmãos quem sou, em que tipo de lar estão inseridos, e quais são os valores que adubam o nosso solo familiar. Procuramos semear boas semente, com efeito, os frutos que queremos que germinem não são imanentes.

A marca gravada na fronte de nossa casa é a cruz. Este símbolo nos leva a contemplar os dois eixos centrais e transcendentes da pregação da Boa Nova de Cristo. Jesus ao ser questionado pelos fariseus: “Mestre, qual é o maior mandamento da lei?”, respondeu com sabedoria divina: “Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito. (…) e a teu próximo como a ti mesmo. Nesses dois mandamentos se resumem toda a lei e os profetas.

No símbolo cristão da cruz, nossos olhos se estendem do eixo vertical ao eixo horizontal, o primeiro nos suscita a amar a Deus, e o outro ao nosso próximo, e ambos não tem fim, tendem ao infinito. Não há cristão verdadeiro que não carregue e considere a realidade dos dois eixos, pois não há cruz sem ambos. Relacionar-se só com Deus esquecendo-se do próximo, ou com o próximo esquecendo-se de Deus, não é um relacionamento cristão. Em suma, sermos do mundo (e não mundanos) com os olhos fitos na meta (o céu).

Amada filha, estas cartas relatarão o caminho. Não se acomode, nunca! Cristão de verdade não vive morbidamente. O exercício de oferecermos sacrificialmente nossos afazeres familiares e seculares diários, minimizarão nossas faltas, e nos levarão a contemplar um dia face a face o Cristo. Não somos santos, tampouco errantes, somos peregrinos, fazemos parte da Igreja militantes, e por isso nosso caminho familiar será sempre pautado no Amor e na Verdade, sendo o Cristo nosso “Caminho, Verdade e Vida”, e é isto, ou melhor, o ensinamento Dele, que venho trazer-te nestas minhas cartas.

Até a próxima…

Sancte Michael Archangele, defende nos in prælio. Amen.

Áudio do Sermão do seminarista do Felipe Lopes na Adoração pelas Famílias de Julho/2014

Adoração das Famílias – Jul.2014 – Paróquia São João Batista – Tenente Jardim – Niterói – RJ

Adoração das Famílias – Jul.2014 – Paróquia São João Batista – Tenente Jardim – Niterói – RJ

Parte do sermão do seminarista Felipe Lopes na Adoração pelas Famílias, de julho de 2014. Abaixo destacaremos momentos importantes da meditação sermão e, ao final, o áudio desse sermão.

Perguntas para um Black Bloc

Curioso como as ações espontâneas do povo nas ruas repentinamente acabaram com os líderes black blocs na cadeia. Mas não esqueçamos o que esses criminosos fizeram. Temos algumas questões para os justiceiros Black Bloc’s e para mídia que gosta de defender esses criminosos, contra essa amnésia curiosa:

1. Alguém dentre vocês se lembra do seu Itamar Santos? Não! Pois é. Seu Itamar Santos, de 55 anos, é aquele cidadão comum, sem parente cantor de MPB, que não recebeu nenhuma menção de apoio dos milionários músicos da muzikapopularbrazuca; Seu Itamar Santos é alguém que não precisa de advogado da DDH, pois trabalha duro e honestamente e não fica em apertos em porta de delegacia; Seu Itamar Santos é um homem sem dinheiro no banco, mas que sustenta com dificuldade sua família mas que, infelizmente, nunca recebeu quentinhas de graça em sua casa, pois não acha correto depredar patrimônio público; Enfim, seu Itamar Santos é aquele cidadão honesto, que teve o fusca (ano 79) incendiado por black blocs?

Seu Itamar teve seu automóvel queimado pela turba Black Bloc

Seu Itamar teve seu automóvel queimado pela turba Black Bloc

Curtas sobre a Fé – 06

Comentário: Notícias sobre o catolicismo na China, sobre política e Igreja Católica, sobre a resistência de leigos à investida do laicismo. A trincheira continua disposta em várias partes do mundo.

Luz

Joseph Ratzinger – Fé e Religião

Fé e Religião

Joseph Ratzinger

“Sem pensar muito pressupomos geralmente que ‘religião’ e ‘fé’ são a mesma coisa, de modo que qualquer religião pode ser chamada também de ‘fé’. Mas essa conclusão só se aplica em sentido muito restrito; em muitos casos, as outras religiões costumam assumir designações diferentes que exprimem outras ênfases. O Antigo Testamento como um todo não se entendia como uma ‘fé’, e sim como ‘lei’. Ele é em primeiro lugar uma ordem de vida, na qual, no entanto, o ato da fé adquire uma importância cada vez maior. A religiosidade romana, por sua vez, entendeu por ‘religio’ sobretudo a observância de determinadas formas e praxes rituais. Para ela não é decisivo que se faça um ato de fé em elementos sobrenaturais; tal ato poderia mesmo faltar por completo, sem que isso se constituísse em infidelidade contra a religião: sendo basicamente um sistema de ritos, é natural que a observância cuidadosa deles constitua o elemento decisivo. Poderíamos analisar sob esse aspecto toda a história das religiões”

  Fonte: RATZINGER, Joseph. Introdução ao Cristianismo. São Paulo: Loyola, 2005, p.38.

Michael J. Sandel – Clonotos e Zigotos

Clonotos e Zigotos

Michael J. Sandel

“Alguns participantes do debate em torno das células-tronco argumentaram que blastocistos clonados não são embriões no sentido estrito do termo, mas artefatos biológicos (‘clonotos’, e não zigotos) privados do status moral dos embriões humanos concebidos naturalmente”

Fonte: SANDEL, Michael J. Contra a perfeição: ética na era da engenharia genética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, pp. 124.

Parabéns, Arquidiocese do Rio de Janeiro

A Citizen Go está promovendo uma petição de agradecimento a Dom Orani João Tempesta, pela atitude corajosa de não ceder às pressões dos poderosos da mídia e do mundo artístico no que concerne ao respeito à fé de milhões de pessoas do Rio de Janeiro. Se você também se sente agradecido ao arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, assine a petição nesse link. Abaixo o texto de agradecimento e um resumo da história.

Reflexões – Adoração pelas Famílias – Julho/2014

O encontro com o Senhor acontece na lida diária do lar, do escritório, da escola, no teatro, na praia, no museu. É importante aprender com São João, recostando a cabeça no peito do Mestre para “ouvir o seu coração bater”. Esse é o segredo da felicidade das famílias cristãs: ouvir o compasso do coração de Nosso Senhor e imitar-lhE os desejos

Adoração das Famílias – Jul.2014 – Paróquia São João Batista – Tenente Jardim – Niterói – RJ

Adoração das Famílias – Jul.2014 – Paróquia São João Batista – Tenente Jardim – Niterói – RJ

Jürgen Habermas – Estado Liberal e Tolerância Religiosa

Estado Liberal e Tolerância Religiosa

Jürgen Habermas

“A consciência secular também tem de pagar seu tributo para entrar no gozo da liberdade religiosa negativa. Espera-se dela uma exercitação no relacionamento autorreflexivo com os limites do iluminismo. A concepção de tolerância de sociedades pluralistas de constituição liberal não exige apenas dos crentes que entendam, em suas relações com os descrentes e os crentes de outras religiões, que precisam contar sensatamente com a continuidade de um dissenso, pois numa cultura política liberal exige-se a mesma compreensão também dos descrentes no relacionamento com os religiosos”

Fonte:HABERMAS, Jürgen; RATZINGER, Joseph. Dialética da secularização: sobre razão e religião. Aparecida: Ideias e Letras, 2007, p. 55.

Ésquilo – Matrimônio

Matrimônio

Ésquilo

“O leito nupcial onde o destino une o homem e a mulher recebe a proteção de um direito divino, cuja força enorme excede a que garante os santos juramentos.”

Fonte: ÉSQUILO. Eumênides.

Curtas sobre a Fé – 05

Comentário: Algumas notícias são antigas, mas dão o tom exato do que é o cristianismo nesses tempos. Há perseguição aberta contra pessoas que só fazem o bem às mais necessitadas, dando-lhes o pão material e também o Pão da Vida; há também um otimismo besta pelo avanço do liberalismo teológico pela IEAB dentre outras notícias.Luz

Arthur Schopenhauer – Determinismo e Liberdade

Determinismo e Liberdade

Arthur Schopenhauer

“O homem em si não muda nunca: como agiu em um caso, tornará a agir quando iguais circunstâncias se repetirem (supondo-se todavia que possua um conhecimento exato)”

Fonte: SCHOPENHAUER, Arthur. O livre arbítrio. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1967, p. 131.

Famílias Pitorescas

Se ser pitoresco é ser antenado, atento às informações e não delegar a responsabilidade pela própria formação humana a nenhum canal de televisão (nenhum!): sim, eu tenho uma família pitoresca;

Se ser pitoresco é ser autônomo e não abdicar da tarefa de estudar religião, indo às fontes e às verdadeiras autoridades: sim, eu tenho uma família pitoresca;

Se ser pitoresco é não ter respeito humano e viver o Evangelho na alegria e na radicalidade com que a Igreja Católica no-lO apresenta: sim, eu tenho uma família pitoresca;

Se ser pitoresco é ser fiel às promessas que se faz, mantendo a fidelidade conjugal ou a fidelidade eclesial segundo suas próprias escolhas: sim, eu tenho uma família pitoresca;

Conselho Pontifício para a Família – Natureza do Matrimônio

Natureza do Matrimônio

Conselho Pontifício para a Família

“O contrato conjugal foi assumido e elevado pelo Senhor Jesus Cristo, na força do Espírito Santo, a sacramento da Nova Aliança. Associa os cônjuges ao amor oblativo de Cristo Esposo pela Igreja, Sua Esposa (cf. Ef 5, 25-32) tornando-os imagem e participantes deste amor, faz deles um louvor ao Senhor e santifica a união conjugal e a vida dos fiéis cristãos que o celebram, dando origem à família cristã, igreja doméstica e «primeira célula vital da sociedade», (Apostolicam Actuositatem, 11) e «santuário da vida» (EV 92 e também nn. 6, 88, 94). O sacramento é, portanto, celebrado e vivido no coração da Nova Aliança, isto é, no mistério pascal. É Cristo, Esposo no meio dos seus (cf. Gratissimam Sane, 18; Mt 9, 15), que é fonte de todas as energias. Os casais e as famílias cristãs, por isso, não estão isolados nem abandonados”

Fonte: Conselho Pontifício para a Família. Preparação para o sacramento do matrimônio, §9.

Henri Bergson – Intuição Simples

Intuição Simples

Henri Bergson

“Com efeito, tendo deitado a curva do seu pensamento para seguir de maneira reta a tangente, tornou-se exterior a si mesmo. Retorna a si quando volta à intuição. Desses idas e vindas são feitos os ziguezagues de uma doutrina ‘que se desenvolve’, isto é, que se perde, se reencontra e se corrige in-definidamente a si mesma. Separemo-nos desta complicação, remontemos à intuição simples ou ao menos à imagem que a traduz: imediatamente vemos a doutrina libertar-se das condições de tempo e de lugar das quais ela parecia depender”

Fonte: BERGSON, Henri. Conferências Os Pensadores. São Paulo: Editora Abril, 1973, p. 57.

Um “no momento” perturbador

O jornal O Globo deu publicidade a um artigo controverso sobre cenas de um filme e o uso da imagem do Cristo Redentor. A Arquidiocese do Rio de Janeiro negou o uso de imagens ao filme e isso gerou incômodos. Escrevi um texto questionando aspectos do texto de um dos articulistas.

Hans-Georg Gadamer – Ética

Ética

Hans-Georg Gadamer

Ethos é “um comportar-se e ua atitude que se pode questionar sobre si mesmo, que consegue responsabilizar-se”

Fonte: GADAMER, Hans-Georg. Elogio da Teoria. Lisboa: Edições 70, 2001, p. 15.

Thomas Kuhn – Irracionalismo Metodológico

Irracionalismo Metodológico

Thomas Kuhn

“Para descobrir como as revoluções científicas são produzidas, teremos, portanto, que examinar não apenas o impacto da natureza e da Lógica, mas igualmente as técnicas de argumentação persuasiva que são eficazes no interior dos grupos muito especiais que constituem a comunidade dos cientistas [...]. Observe-se primeiramente que, se existem tais razões (para descobrir a natureza das revoluções científicas), elas não derivam da estrutura lógica do conhecimento científico”

Fonte: KUHN, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Perspectiva, 2001, p. 128-129.