Entrevista do Papa Francisco – Repercussão

Dias depois do Papa Francisco dar a controversa entrevista na volta da Indonésia, os jornais do mundo todo fizeram chacota das famílias numerosas. Não é curioso como os meios de comunicação, que ordinariamente ignoram o que o Papa fala sobre política, ética e religião, deram destaque às palavras de Francisco?

Pois é! Às famílias cristãs, que entenderam as palavras do Papa Francisco, cabe o dever de viver alegre e santamente em meio às pedradas que vem de fora (e algumas de dentro) da Igreja.

Família Coelho

Obrigado, Papa!

 

Família Coelho

– “… Crescei e multiplicai”- “Não experimente!”

 

 

Família Coelho

Papa diz que católicos devem parar de reproduzir-se “como coelhos””Maravilha! Isto significa que nós podemos usar contraceptivos também?”


 

Família Coelho

Não é necessário reproduzir como coelhos?! E agora é que você nos diz isso!

 

Steve Fuller – Science Studies

Science Studies

Steve Fuller

“Thus were born the research program known as the sociology of scientific knowledge (SSK) and the interdisciplinary field of ‘science of technology studies’ (STS), or ‘science studies’ for short””

“Assim nasceu o programa
de pesquisa conhecido como a sociologia do conhecimento científico (SSK) e o campo interdisciplinar
da “science of technology studies” (STS), ou ‘science studies’ simplesmente”

Fonte: FULLER, Steve. Thomas Kuhn: a philosophical history of our times. Chicago
and London: The University of Chicago Press, 2000, p. 3.

Dominique Pestre – Ciência e Essência

Ciência e Essência

Dominique Pestre

“Elle (la science) est locale dans ses déterminations et modes de preuve – em bref, elle est sans essence”

“Ela (a ciência) é local em suas determinações e modos de prova – brevemente, ela é sem essência”

Fonte: PESTRE, Dominique. Introduction aux Science Studies. Paris: La Découverte, 2006, p. 6.

O Papa Francisco não é o Patolino

O Papa Francisco não é o Patolino. Ele não odeia coelhos.

Uma das maiores curiosidades de nossos tempos é que as pessoas são capazes de defender os valores mais contraditórios, sem corar as fauces. Nunca reconhecem que erraram no passado. Preferem defender uma postura contraditória, a assumir que estavam errados. Um exemplo é a cara-de-pau dos membros da igrejinha do PT, que eram contra o Plano Real, e agora posam de pais desse fruto do PSDB. Ou os mesmos crentes desse partido, que demonizavam as privatizações, mas não dizem um ai para a privatização do pré-sal, das rodovias federais, da terceirização do sistema de saúde, etc. Os exemplos são diversos. O mesmo acontece no campo religioso.

Pessoas que não dão à mínima para que a Igreja Católica fala sobre fidelidade matrimonial, castidade, lucro excessivo, solidariedade ou paz social, agora querem usar a doutrina da Igreja contra seus fiéis. Pessoas que nunca ofereceriam a outra face querem utilizar as palavras do Papa Francisco contra os católicos. Mas alguém me explique, por favor: por que o Papa é um idiota quando fala de castidade ou pobreza, e um gênio quando fala de reprodução humana? A resposta é simples: para essas pessoas ele é gênio quando fala o que eles querem ouvir; e é idiota quando tem a coragem de dizer o que lhes desagrada. E é nesse contexto que se coloca a disputa sobre a interpretação da entrevista do Papa Francisco, na volta de sua viagem à Indonésia.

Papa_Francisco_Patolino01

Martin Heidegger – Interpretação

Interpretação

Martin Heidegger

“Da falta de palavras não se pode concluir a falta de linguagem”

Fonte: HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Rio de Janeiro: Vozes, p. 157.

Hans-Georg Gadamer – Hermenêutica

Hermenêutica

Hans-Georg Gadamer

“O ponto médio é o verdadeiro tópos da hermenêutica”

Fonte: GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método Petrópolis: Vozes, 1999, p. 300.

O Erro de Charlie

Os assassinatos perpetrados por radicais islâmicos no jornal Charlie Hebdo, em Paris, exigem uma reflexão profunda. A gravidade da situação, no entanto, favorece a que se tomem posturas extremas, muitas vezes flertando alegremente com um maniqueísmo simplista. Muitos querem colocar o lamentável assassinato dos jornalistas franceses sob a bandeira da modernidade contra o atraso, da liberdade contra o autoritarismo. Não sei se é fácil assim. Segundo tais interpretações, há dois lados em tudo distintos e cabe a cada um escolher onde quer lutar essa batalha.

Friedrich Schleiermacher – Hermenêutica

Hermenêutica

Friedrich Schleiermacher

“A hermenêutica jurídica não é completamente a mesma coisa. Ela lida, na maior parte das vezes, com a determinação da extensão da lei, isto é, com a relação dos princípios gerais com o que neles não foi concebido claramente”.

Fonte: SCHLEIERMACHER, Friedrich. Hermenêutica: arte e técnica da interpretação. Vozes: Petrópolis, 2000,  p. 29.

Joseph Ratzinger – Fé e Democracia

Fé e Democracia

Joseph Ratzinger

“Não existe nenhuma razão para deixar que uma minoria permita que a sua fé lhe seja prescrita por uma maioria. A fé, e a sua práxis, ou nos vem do Senhor por meio da Igreja e seus ministérios sacramentais ou não existe. Na maioria dos casos, o afastamento da fé acontece por lhes parecer que, se pudesse ser fixada por qualquer instância, a fé equivaleria a uma espécie de programa de partido: quem estivesse com o poder, determinaria o que se deve crer. Por isso, o que interessa hoje é chegar a possuir poder na Igreja. Dito de uma maneira mais lógica e evidente: o que interessa mesmo é não crer.

Fonte: RATZINGER, Joseph. Fé, Verdade e Tolerância. São Paulo: Inst. Bras. de Filosofia e Ciência Raimundo Lúlio, 2007, pp. 121-122.

Boko Haram na Nigéria

A África sangra. Há mais de uma década os cidadãos do continente mais sofrido do mundo morrem como moscas, sob o silêncio cúmplice da ONU e dos países do ocidente. Foi assim em Angola, na África do Sul, no Kwait e em outros países do continente. Agora é a vez da Nigéria, que sofre em um conflito sem fim. O recente alerta do arcebispo de Jos, Ignatius Kaigama, é um apelo ao mundo, para que tratem as mortes das pessoas sem distinção de nacionalidade: “Não se esqueçam de nós”, conclama arcebispo diante dos massacres acontecidos na Nigéria.

Conselho Pontifício para a Família – Matrimônio e Penitência

Matrimônio e Penitência

Conselho Pontifício para a Família

“Convém, portanto, que os futuros esposos se disponham para a celebração do matrimônio para que ela seja válida, digna e frutuosa, recebendo o sacramento da Penitência (cf. Catecismo da Igreja Católica, n. 1622)”

Fonte: Conselho Pontifício para a Família. Preparação para o sacramento do matrimônio, §53.

Gianni Vattimo – Hermenêutica

Hermenêutica

Gianni Vattimo

“La hermenéutica es la koiné de la filosofía”
Fonte: VATTIMO, Gianni. Ética de la Interpretación. Barcelona: Paidós, 1991, p. 55.

Anemia de absoluto

Um novo texto de um blogueiro do Site Humanitatis foi publicado pela Gazeta do Povo. A reflexão trata de propor uma análise acerca do poder atrativo que os fundamentalismos atuais possuem sobre a juventude. Parece que o problema é a fatal de critérios para a vida: Anemia de Absoluto:

O fanatismo político de jovens anêmicos eticamente se encontra curiosamente próximo do fanatismo religioso de uma juventude anêmica filosoficamente. Por ironia, o esmaecimento dos valores morais no Ocidente, intentando ser o mais inclusivo possível, redunda na falta de princípios claros e seguros para a vida. E é justamente a falta desses valores que empurra os jovens para os braços de movimentos extremistas, ordinariamente de caráter revolucionário, os quais possuem todas as certezas e soluções dos problemas humanos, satisfazendo assim – aparentemente, é claro – a necessidade de Absoluto do homem. Parece-nos que os jovens extremistas de todas as latitudes acolhem esses movimentos, pois procuram um Absoluto para chamar de seu.

Luz

Para ler o texto completo, vejam aqui.

Søren Kierkegaard – Necessidade

Necessidade

Søren Kierkegaard

A “necesidad es el movimiento en la historia universal”

Fonte: KIERKEGAARD, Søren. Estética y Ética. Buenos Aires: Editorial Nova, 1959, p. 29.


Arthur Schopenhauer – Liberdade

Liberdade

Arthur Schopenhauer

Liberdade é “ausência de qualquer impedimento e de qualquer obstáculo”

Fonte: SCHOPENHAUER, Arthur. O livre arbítrio. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1967, p. 30.

Eu não sou Charlie – Je ne suis pas Charlie

Lendo e meditando sobre os últimos acontecimentos na França, percebi que não sou Charlie. Minha alma, resistente aos movimentos da manada, se rebelou ao ver tantos jovens burgueses, tantos discursos maniqueus nas mídias mais diversas, concordando caprinamente sobre assunto tão complexo. Costumo suspeitar desses movimentos muito enraizados nos mass media e nas redações, sem qualquer senso crítico. Além disso, toda análise social que se pretenda séria e profunda precisa fugir dos simplismos. E não há nada mais simplista e, portanto, mais falso que descrever o mundo entre bons e maus, entre os puros e os impuros. As diversas análises que li sobre os lamentáveis fatos ocorridos na França têm esse ponto em comum: são unânimes em redimir os Charlie e demonizar o Islã. Não acho que seja tão simples assim.

Charlie_03

Christopher West – Celibato e Fecundidade

Celibato e Fecundidade

Christopher West

“O fruto dos filhos na vida dos casados ajuda os homens e as mulheres celibatários a perceber que também são chamados à fecundidade – a uma fruição do espírito. Desta forma, vemos como a realidade ‘natural’ do casamento nos orienta para a realidade ‘sobrenatural’ do celibato por amor do Reino. De facto, o pleno conhecimento e apreciação do plano de Deus para o casamento e para a vida familiar são indispensáveis para a pessoa celibatária”

Fonte: WEST, Christopher.Teologia do corpo para principiantes: uma introdução básica à revolução sexual do papa João Paulo II. Prior Velho: Paulinas, 2009, p. 95.

J. Urteaga – Filhos Pródigos

Filhos Pródigos

J. Urteaga

“Interessam-nos os pródigos, os doentes…, Zaqueu e Madalena. Interessam-nos extraordinariamente os homens que fugiram de Deus. Não veio Cristo procurar o que estava pedido?”

Fonte: URTEAGA, J. O Valor Divino do Humano. São Paulo: Quadrante, pp. 28-29.