Arthur Schopenhauer – Livre arbítrio

Livre arbítrio

Arthur Schopenhauer

“O livre arbítrio implica, se o considerarmos bem de perto, uma existência sem essência, digamos alguma coisa que é e, ao mesmo tempo, não é nada, por conseqüência não é, donde resulta uma evidente e inconciliável contradição”

Fonte: SCHOPENHAUER, Arthur. O livre arbítrio. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1967, p. 147.

1 comment for “Arthur Schopenhauer – Livre arbítrio

  1. Marcelomrg
    9 de novembro de 2014 at 18:05

    Com efeito, …a questão do livre-arbítrio é, na verdade, uma pedra de toque da qual se torna possível distinguir os verdadeiros e profundos pensadores dos espíritos superficiais, ou melhor, é uma linde que divide essas duas categorias de engenhos, uns sustentando unanimemente a rigorosa necessidade das ações humanas, dados que sejam os caracteres e os motivos; outros, pelo contrário agrupando-se ao redor da doutrina do livre -arbítrio, concordando nisso com a absoluta maioria dos homens, pávidos, que sentindo-se embaraçados, cutucam um pouco aqui, e um pouco ali, procurando evitar uma decisão nítida, refugiando-se num emaranhado de palavras, frases, ou então vagando ou divagando sobre a questão, confundindo-a de modo a não deixar mais compreender do que se trate. Mais para voltar as costas a esses palradores irresolutos e ondulantes é necessário a instrução de que: tudo o que acontece, tanto as coisas mínimas como as maiores , deve suceder necessariamente. Quidquid fit , necessario fit… (O livre-arbítrio p. 93).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *