Joseph Ratzinger – Tecnologia

Tecnologia

Joseph Ratzinger

“Observa-se de maneira crescente o fato de que a fé cristã, como herança cultural européia, seja rechaçada para salvaguardar a própria autenticidade, restaurando-se as religiões pagãs; ao mesmo tempo que a técnica é apaixonadamente acolhida e utilizada, não obstante não seja menos ocidental”

Fonte: RATZINGER, Joseph. Fé, Verdade e Tolerância. São Paulo: Inst. Bras. de Filosofia e Ciência Raimundo Lúlio, 2007, p. 74.

Robson Oliveira

4 comments for “Joseph Ratzinger – Tecnologia

  1. Joselane Cruz
    23 de agosto de 2012 at 16:34

    Isso me faz ver que o povo procura coisas que o acompanhem nas necessidades do dia a dia e acabam buscando outras alternativas sem saber que isso é encontrado na fé cristã. Isso faz com que a guarde numa espécie de caixinha retirando-a somente num momento de difícil dificuldade que poderia ser evitado se a usasse permanentemente.

  2. Fábio Harab
    21 de agosto de 2012 at 09:13

    Esse me leva a refletir sobre a tecnologia nos dias atuais e sua ação na igreja. Observo que estamos em uma balança que de um lado possui os pontos negativos onde os fieis estão sendo “bombardiandos” de informações que distorcem uma visão já formada colocando-os em dúvidas de muitas verdades. Do outro lado temos a facilidade de evangelizar usando uma linguagem recente e moderna das redes sociais. Eu faço parde da Comissão Arquidiocesana da Semana Missionária e da JMJ e vejo que é muito fácil utilizar das tecnologias para alcançar os jovens e fala com eles, para divulgar a JMJ. A igreja tem que se preocupar e preparar os jovens para as tecnologias e utiliza-las ao nosso favor. No Seminário dos Jovens comunicadores pude aprender um pouco mais como aproveitar essas tecnologias sem perder os dogmas e a exssecia da igreja.

    • Deolinda Pimentel dos Santos
      24 de agosto de 2012 at 02:40

      Fábio, nem todo católico utiliza a tecnologia de forma adequada, basta uma mensagem que ele julga interessante para proliferar o que está distante da nossa fé.

  3. Amaro Helio Costa dos Santos
    17 de agosto de 2012 at 20:04

    Muito interessante, sinto que nos dias de hoje isso ainda acontece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *