“Católico” Florzinha

Finalmente consegui furar a segurança do site. Eles têm melhorado muito a qualidade das suas senhas. O famoso 123321 não tem funcionado mais. Fazer o quê? Mas ainda tenho algumas armas debaixo das garras… eheheh…

Reprodução

Recebi um email muito perigoso recentemente. Os demônios do Rio de Janeiro têm enviado mensagens criticando um novo blog: www.ocatequista.com.br. Eles têm pedido ajuda para combater os excelentes artigos daqueles que trabalham para divulgar os ensinamentos do Emanuel e da Babilônia. Fui ao novo blog e, devo dizer, eles são muito bons! Um dos artigos que os demônios do Rio têm de combater é sobre o católico bico-doce.

Pessoal, nosso grande aliado para fazer perder as almas dos jovens é a desconfiança do amor. Se fizermos os jovens acreditar que o amor é impossível, Ele terá dificuldades… Ora, nesse sentido, não há melhor aliado dos demônios na pastoral que o bico-doce. Com sua malícia, ele engana as inocentes e desencanta as céticas; ao mesmo tempo faz brotar e faz secar o amor nos homens e nas mulheres e, por tabela, desengana a todos do amor dEle pela humanidade. Mas tem um novo servidor do Inferno, igualmente útil à causa, entrando nas paróquias do Rio de Janeiro: o “católico” florzinha.

Ele é parecido com o bico-doce: tem boa lábia, é simpatissímo, geralmente bonito, não tem necessidades financeiras, é articulado… e é gay. O que o bico-doce faz com as menininhas, o florzinha quer fazer com os menininhos. Este espécime curioso adora as pastorais culturais (música, teatro, dança), mas não conte com ele para rezar: orar “é muito parado”, “muito monótono”, exceto quando tem teatro ou jogral na jogada.

O florzinha, pois de católico não tem nada, pretende aliciar meninos para seu harém. Ele promete pontas em programas de tevê (e as vezes cumpre a promessa), ele apresenta a suas vítimas benefícios culturais e tecnológicos inimagináveis, ele até dá presentes quando o rapazinho interessa muito. Demônios, cuidem bem do florzinha! Ele, obviamente, é de utilidade para a causa, mais que o bico-doce. Pois enquanto este cria traumas e bloqueios naturais ao amor, aquele inicia suas vítimas em pecados muito mais graves contra a natureza. Logo, o florzinha é nosso “crème de la crème”.

Claro, demônios, há defesa contra os “florzinha”. Inculquem nos líderes da paróquia a falácia da “misericórdia absoluta”. Isto é, divulguem que ninguém pode julgar o florzinha, que só Ele pode julgá-lo e que o julgamento dEle nada tem de justo, é só misericórdia. Enquanto os homenzinhos fedorentos discutem se pode-se julgar ou não, o florzinha vai traçando toda a equipe de coroinhas, gerando traumas e desconfianças que só milagres podem retirar do corpo e do espírito dessas pessoas.

Ah, e divulguem que nascido “florzinha”, “florzinha” sempre. É mentira, a gente sabe, mas para nossas pretensões é importante que se esqueça o papel fundamental da liberdade e das paixões. Se eles souberem que já houve florzinhas que se converteram e estão muito felizes, nossa batalha ficará ainda mais difícil.

Coisa Rúim Chefe

1 comment for ““Católico” Florzinha

  1. 22 de junho de 2012 at 18:41

    Pessoal do “O Catequista” está fazendo raivinha mesmo…
    Mas sempre é assim. Quando se pega na ferida, é revolta na hora. rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *