Viva a União Estável Homoafetiva!

Reprodução

Ah, dessa vez foi duro! A segurança no site aumentou muito e tive que subornar um monte de analista de sistema (oh, raça!) para conseguir entrar neste blog e escrever umas palavras… Antes de tudo, preciso dizer que estou muitíssimo feliz! Nunca na história desse país meus bons conselhos foram defendidos por gente tão importante, como o pessoal do STF. Mas como capitalizar esta excelente interpretação da Constituição do Brasil na vida concreta dos homenzinhos fedorentos? Um gerente de regional enviou-me email questionando-me sobre o assunto.

Canhoto Coisa Rúim,

sou o demônio 661, responsável pelo regional Leste 1. Acompanhamos seu trabalho no STF e comemoramos o resultado que, incrivelmente, fez convencer os homenzinhos fedorentos que a letra do texto não diz o que ela diz. Apesar desta vitória, alguns do regional não tiveram a clareza para aplicar na pastoral os princípios decorrentes dessa hermenêutica jurídica. Sua Desgracença poderia esclarecer-nos, se possível com orientações pragmáticas?

Eu não sei porque ainda contrato a Cespe para fazer meus concursos… Os demônios mais antigos são muito melhores que os mais novos, apesar desse monte de regras e provas destas “profissionais” dos concursos. Eles vinham com a formação básica muito melhor que os atuais demônios. Bem, mas vamos lá. A decisão, absolutamente coerente do STF, de dizer que o que está escrito na Constituição Federal não é o que está escrito, deixa brechas para que façamos nosso trabalho e infernizemos, ainda nesta vida, esses homenzinhos fedorentos. Para isso, importa que ensinemos nossos amigos, os michês e periguetes, a tomarem alguns cuidados e exijam os “direitos” advindos da União Estável Homoafetiva.

Dicas para quem é michê ou periguete:

1. Guarde as notas fiscais dos presentinhos que recebe dos seus “tios” atores, dos seus “tios” diretores de televisão, dos seus “tios” juristas; das suas “tias” produtoras de elenco, das “tias” produtoras musicais, das “tias” do executivo, legislativo e judiciário. Elas podem ser provas da estabilidade da união homoafetiva e podem render uma poupança considerável.

2. Tire fotos das visitas de fim de semana daqueles parceiros habituais, mesmo que de outros estados. Guarde-as todas. O melhor é que estes relacionamentos durem anos. Elas podem render uma boa pensão.

3. Guarde os torpedos marcando encontros no meio da tarde. A frequência destes encontros – sempre documentados – podem render parte do patrimônio de seus homoafetivos.

4. As viagens de férias, os cruzeiros pelo país e os finais de semana em Búzios e afins precisam ser registrados, se possível com testemunhas oculares. Lembrem-se, pode estar em jogo o futuro financeiro da sua família.

A União Estável traz benefícios aos homoafetivos, mas também traz responsabilidades. Exijam seus direitos, periguestes e michês! Fidelidade é o mínimo que se exige em uma união estável. De meu lado, fico me divertindo com o modo como os homenzinhos fedorentos procuram modos novos de sofrer. Ah, e se precisarem, dou assessoria jurídica. Tenho um complexo empresarial no inferno só de advogados e ex-ministros do STF!

Coisa Rúim Chefe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *