Como vai votar, Molon?

No início de 2016, uma debandada de políticos deixou o PT para esconder-se em outras legendas. Uma das preferências desses políticos foi a legenda de Marina Silva, a mulher que não sabe de nada, que não quer nada, que não critica nem opina nada. A Rede é um partido-melancia: verde por fora, vermelho por dentro, e por esse motivo foi escolhido por grande partes dos oportunistas do PT para continuarem sua sanha esquerdopata.

Para tristeza dos católicos cariocas, um representante do seu estado, eleito com voto de muitos católicos, declarou voto contra o Impeachment de Dilma Roussef. Alessandro Molon, que já abandonou plenário para não votar contra o aborto (que era seu dever e compromisso), agora também diz que não vê motivo para o Impeachment da presidente que, como indicam as provas, prevaricou de cargo público para eleger-se. Mas não é só isso: o Molon acha que o país está bem. Vejamos:

  • São mais de 10 milhões de desempregados, mais de 10 milhões de famílias jogadas no absoluto abandono, mas o Alessandro Molon não vê nada demais nisso;
  • Hospitais estão deixando de atender por falta de repasse de dinheiro do governo federal, mas o sofrimento dessas famílias, como a sua e a minha, não comovem o Molon e ele acha que está tudo bem;
  • Professores estão sem receber reposição das perdas salariais há uma década, desde o tempo em que o Molon governava com o PT, mas não é motivo para revolta, segundo o político;
  • Até agora, os estudos falam de 400 bilhões (400 bilhões!!!), essa é a soma do dinheiro público, dinheiro de impostos que deviam estar na saúde, na educação, na moradia, na segurança, que foi roubado, sim, roubado!, pela quadrilha do PT, quadrilha que só foi abandonada pelo Molon nos últimos meses, mas ele não vê motivo para votar pelo Impeachment.

 

Traidores da democracia

 

Mande um email (dep.alessandromolon@camara.leg.br) para o deputado perguntando-lhe como irá votar sobre o impeachment:

Alessandro Molon, os católicos do Rio de Janeiro estamos de olho como vai votar aquele que vem pedir nosso voto dizendo ser nossa voz. A voz do Brasil é pelo Impeachment, é pelo desmantelamento da quadrilha, é pelo expurgo dessa corja imoral da política brasileira. O contrário disso é traição a seus eleitores!

Para registro, os outros parlamentares do Rio de Janeiro que votarem contra o Impeachment não serão esquecidos: Marquinho Mendes, Soraya Santos, Wilson Beserra, Benedita da Silva, Chico Alencar, Chico D’Angelo, Glauber Braga, Jandira Feghali, Jean Wyllys, Leonardo Picciani, Luiz Sérgio, Wadih Damous, Zé Augusto Nalin.

3 comments for “Como vai votar, Molon?

  1. Fabiano Gomes
    19 de Abril de 2016 at 17:48

    Bom, entendo tudo o que diz. Inclusive a palavra unanimidade não era a melhor pra eu ter usado. Mas, de qualquer forma, realmente tenho dúvidas pelo que percebo das pessoas, afinal, a associação que você faz é indireta (não é uma pesquisa sobre opinião de católicos a citada). Apesar disso, tem uma probabilidade razoável de que a proposição que você faz seja verdadeira.
    Bom, acolho a ideia de debater (com carinho, rsrs…). O assunto é espinhoso mesmo, mas temos mesmo que buscar discussões saudáveis.

    Abração

  2. Fabiano Gomes
    18 de Abril de 2016 at 16:05

    Olá, Robson,

    olha, acho que você tem razão ao cobrar de um político católico, que intenta nos representar, a nossa voz. Ok. Mas acho que não dá pra fazer a associação automática “Se é católico, é a favor do impeachment”. O assunto é delicado e controverso, as discussões tem sido polarizadas.
    Particularmente, enxergo interesse nesses opositores políticos de ambos os lados dessa disputa que estão protagonizando. Parece que nossas opções são entre um mal e outro mal. Mas reconheço sinceridade nas pessoas do povo que se declaram a favor de uma coisa ou de outra. Mais estritamente, entre os católicos, também não percebo unanimidade, apesar de eu não ter números oficiais para melhor avaliar.
    Portanto, eu não teria segurança de afirmar que a vontade do católico é essencialmente pelo impeachment.
    Abraço!!

    • 18 de Abril de 2016 at 16:20

      Fabiano, meu amigo, você sabe que sou do diálogo. Mas principalmente, sou do argumento. Respeito demais sua opinião, mas não acho o argumento razoável.
      As pesquisas sobre impeachment garantem que a maioria do povo carioca é pró-impeachment. Como a maioria dos cariocas é católica, então…
      Além disso, perceba que não falei de unanimidade. Falei que ele foi eleito para traduzir no plenário a voz dos seus eleitores. E entendo que ele os traiu. Aliás, Fabiano, como já aconteceu outra vez, quando da defesa contra o aborto no Plenário da Câmara, quando fugiu antes de votar contra os desejos do PT.

      Bem, no conjunto da obra, as coisas só pioram para ele. Mas sou do diálogo e dou voz ao contraditório. Diferentemente desses senhores, que querem calar seus críticos com ameaças e violência, como já aconteceu comigo com políticos seus conhecidos.

      Abração e, se quiser, vamos debater! Com carinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *