Eleições em Niterói

A história recente não ensinou nada àqueles que votaram no PT? Não está claro que quem é capaz de matar é igualmente capaz de saquear os cofres públicos sem cerimônia alguma? E mais: é capaz de atacar a própria República, aparelhando o Judiciário, comprando Legislativo e achacando a Imprensa?

Como os leitores do blog Caesaris sabem, aqui cada um recebe o que é seu no campo político. Durante todo tempo, todos os anos os políticos fazem o que querem nos órgãos públicos, mas nos meses que antecedem as eleições, eles desejam que esqueçamos como pensam, o que fizeram. Os políticos desejam esconder o que são e o que pensam da população, seus eleitores, mas nós – do site Humanitatis e do blog Caesaris, temos o dever de provar para todos o que eles são e o que pensam sobre assuntos importantes para o eleitorado, especialmente o eleitor cristão.

Pois bem, os cidadãos de Niterói-RJ têm o dever de eleger, no próximo domingo, o prefeito de sua cidade. Dois candidatos lutam para servir à população nos próximos anos, um do PT e o outro do PDT. A respeito dos critérios para eleger seus governantes e legisladores, os cristãos católicos possuem orientação clara e inequívoca dos bispos do regional 1 da CNBB (ver aqui). Ainda que a Igreja Católica não tenha partido nem candidato próprios, há princípios gerais que orientam a escolha dos fiéis, para que não se provoque mais mal que bem, com os votos dos cristãos. E um dos pontos (talvez o principal) seja a defesa inconteste da vida humana, desde a concepção.

Ora, o candidato do PT, Rodrigo Neves, deve obedecer às orientações do partido sobre o aborto. Ainda que o partido estrategicamente tenha publicado documento em que enfraquece para o público sua luta pelo aborto, a prática do governo do PT no país testemunha sua sanha abortista. O candidato do PT tem dito que é católico e que segue princípios cristãos, mas mente ao dizer que pode enfrentar uma diretiva nacional do partido. Os dois que tentaram isso recentemente foram expulsos: Luiz Bassuma e Henrique Afonso. Os críticos dirão que aborto é tema federal e que o prefeito não tem ingerência sobre o assunto. Parte é verdade! Mas esquecem-se de que onde a maioria das ações deste tipo surge é no posto de saúde, lugar onde chegam mais rapidamente as pessoas com gravidezes indesejadas. Neste momento entra em cena a prefeitura pró-aborto, levando a vítima para um hospital federal, como o caso de Alagoinha.

O candidato do PT também diz que é favorável a valores familiares. Contudo, prometeu a uma ONG gay que avançaria a interferência do estado sobre a família. Rodrigo Neves, comentando a decisão do STF sobre a união estável, elogiou seu próprio trabalho e comprometeu-se pessoalmente a fazer avançar essa política:  “A vitória obtida no Supremo Tribunal Federal, na última semana, do reconhecimento da união estável de pessoas do mesmo sexo, foi uma luta que começou aqui. É um orgulho para o estado, mas temos que avançar ainda mais”. Como é possível ser a favor da família e contra ao mesmo tempo?

E como os leitores do blog sabem, temos um princípio muito estabelecido: quem é capaz de argumentar em favor da morte de um inocente é capaz de inventar as mais diversas desculpas para justificar roubos, mensalões, corruptores e corrompidos. Afinal, seria um milagre alguém encontrar razões para defender a morte de um inocente no seio materno e não encontrar – ato contínuo – razões para justificar uma “propinazinha”, um “desviozinho de verba”, um “mensalinho”. Sem dúvida, é fácil de ver isso, matar um ser humano é muito mais grave que roubar. Aquele que acha natural e desejável o primeiro, não encontrará dificuldade em justificar o segundo. Pois bem, sendo candidato do PT, Rodrigo Neves sabe do objetivo do PT nacional em relação ao aborto. Ele, como todos os seus candidatos, assinaram o documento de filiação ao partido, cujo estatuto – à época – possuía clara e abertamente a legalização desta prática assassina no Brasil. Se ele não vê problemas nessa sua filiação e sua “catolicidade”, será que seria justo o bastante, honesto o bastante, desapegado o bastante para denunciar e lutar contra atos de corrupção claros? Não sei…

Em 2009, enquanto comandada pela também petista Benedita da Silva, a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), do estado do Rio de Janeiro, cedeu R$ 100.000,00 para uma ONG gay fazer uma festa. Sim, senhores, R$ 100.000,00 para um evento local, de uma ONG. O TCE está investigando a prestação de contas dessa ONG, aliás, a mesma organização para a qual Rodrigo Neves discursou e comprometeu-se pelas suas causas. O Convênio 106/2009 da dita secretaria, celebrado entre as partes, foi selado sob os auspícios da secretária Benedita da Silva, mas não foi investigado pelo candidato a prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PT), quando teve chance, no comando da SEASDH. Ele não viu nada de incomum no convênio e, apesar de instado pelo TCE, não respondeu às demandas do Tribunal. Esse documento pode ser visto por qualquer um:

O que os defensores da igreja dogmática do PT não entendem é que os políticos do PT e o próprio partido são abortistas. Isto é, eles acham que matar uma pessoa inocente no seio materno, sem direito a defesa, não é nada de mal. Por que raios alguém que pensa assim teria algum remorso quando o assunto é erário público? A história recente não ensinou nada àqueles que votaram no PT? Não está claro que quem é capaz de matar é igualmente capaz de saquear os cofres públicos sem cerimônia alguma? E mais: é capaz de atacar a própria República, aparelhando o Judiciário, comprando Legislativo e achacando a Imprensa?

Robson Oliveira

16 comments for “Eleições em Niterói

  1. 3 de novembro de 2012 at 18:55

    Eu sou morador de São Gonçalo, mas tenho certeza absoluto que vivo no mesmo patamar. Nao sei se eu fiz certo o errado, mas foi a primeira vez na minha vida que votei Nulo, na minha modesta opinião nao senti segurança com nenhum dos candidatos. Acho que hoje politicamente falando nao tenho nenhum motivos para vim aqui e escrever coisas bonitas sobre a nossa politica. Abraços

  2. 30 de outubro de 2012 at 13:58

    pode ser o plugin sim, estou no trabalho no momento, e aqui o facebook é bloqueado.

    tentarei ver de casa se funciona e depois te aviso.

    um abraço

  3. 30 de outubro de 2012 at 11:17

    Prf. Robson, algumas respostas não estão aparecendo… Só estão visiveis as 4 ultimas..

    • 30 de outubro de 2012 at 13:32

      Caríssimo Philipe, muito obrigado pela sua sempre atentíssima ajuda.

      Olha, estou usando um plugin do Facebook, que para mim aparece perfeitamente. Vou ver em outros aparelhos e browsers para saber se tudo está bem. De qualquer forma, se você consegue ver os rostinhos dos que curtem o site humanitatis, à direita da tela, então tudo bem. Se não, pode ser que seu browser não suporte esse plugin.

      Vou ver.

      Novamente, obrigado!

  4. Joselane Cruz
    29 de outubro de 2012 at 15:43

    Hoje em dia é quase impossível ser um político honesto, a própria vontade nao é a q prevalece e sim a do partido.

  5. Marta Cristina Porto
    27 de outubro de 2012 at 19:57

    Como pessoa que acompanha a trajetória política do Rodrigo, me recuso veementemente a aceitar estas acusações.
    Como a Fernanda postou acima, Rodrigo Neves tem uma passagem exemplar pela Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos.
    Uma outra situação mentirosa que se expõe neste blog são os processos apontados; o TCE não investiga ninguém, essa não é a sua competência, ele acompanha e fiscaliza, para tal abre processos e solicita documentações. Todos os processos a qual Rodrigo é citado são absolutamente normais. Qualquer ação dos políticos ou gestores é amplamente acompanhada e eles tem que apresentar toda documentação solicitada. Rodrigo nunca foi processado; não tem nenhuma pendência na justiça; não responde a nenhum processo criminal.
    E como político atuante, antes como vereador e depois como Secretário deste atual governo do Estado, está atento à defesa da vida e das questões sociais, contra a discriminação e o preconceito de todos os tipos.
    O que me deixa perplexa com a hipocrisia deste blog é que esta, para mim, é uma postagem tendenciosa, maledicente, que está claramente fazendo campanha para o outro candidato. Se a Igreja não tem partido e nem candidatos próprios, porque este blog não expõe as ideias do outro candidato também (se é que ele tem alguma)?
    Este blog tem um discurso “humanitário” mas o que se me apresenta é a calúnia, a injúria (estes são pecados), o desconhecimento, o temor de ver Niterói retomar sua vida em suas próprias mãos, através de um candidato que vive e sempre viveu em Niterói, casado com uma niteroiense, tem seus filhos criados dentro da fé católica, e ambos são nascidos de numerosa família católica praticante e de peso na cidade.

    Deixo aqui meu repúdio às palavras tendenciosas do autor do texto em questão.

    • 27 de outubro de 2012 at 22:41

      E o comprometimento com a causa homossexual? E a liberação de R$ 100.000,00 para uma festa? E o aborto do partido que ele está ligado?

      Nenhuma palavra?

  6. Fernanda
    27 de outubro de 2012 at 06:23

    Rosana, obrigada pela firmeza e a certeza dos principios e valores que o Rodrigo possue. Vamos sim fazer o melhor para Niterói. O TcE não INVESTIGA ninguém, é um orgão de acompanhamento, e para tal requere informações e documentos aos gestores, mesmo sobre atos anteriores a sua gestão como é o caso acima citado. Mas reafirmo que na sua trajetória Rodrigo sempre trabalhou para o bem comum, nunca foi processado por improbidade alguma, e como Secretaria de Direitos Humanos e Assistencia Social garantiu alem de todo o atendimento na trajédia da região serrana, diversos programas dentre eles a criação do Renda Melhor com o qual o Estado do RJ foi o primeiro a entrar no combate a miséria do governo federal. Niterói ganhará um prefeito forte e atuante e com compromisso social!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *