Lágrimas de crocodilo

A espionagem é uma ferramenta usada por governos e empresas faz tempo. É assim desde a Grécia Antiga: os famosos 300 espartanos caíram principalmente pela traição de um espião. Os mitos também exemplificam essa prática, quando os deuses metamorfoseavam-se para espionar os homens, como nos mitos de Leda ou Europa. Enfim, descobrir as escolhas e estratégias dos vizinhos (amigos e inimigos) é coisa antiga e faz parte do jogo político. Por isso mesmo, as lágrimas do governo – e especialmente dos petistas – contra a prática do governo americano são muitíssimo estranhas. Que o governo brasileiro invista em uma contra-espionagem mais eficiente, ora bolas. Mas o curioso é o que acontece agora no país. Se a espionagem é algo comum entre nações, o que é absolutamente incomum é que cidadãos de outros países vivam em países vizinhos sem seguir as suas leis. Pois é isso que o Brasil está permitindo aos cubanos, para arrepio da lei.

Espionagem não configura quebra de soberania de qualquer país. Afinal, nenhum cidadão está obrigado a agir ou a não agir consoante a Constituição Federal em razão da pretensa ação (é bom que se diga”) do governo americano. Mas cidadãos cubanos, viverem em território brasileiro, entre brasileiros, mas obedecendo a leis da autocracia dos Castro, ah isso não é nada demais para o governo petista!! Tanto chororô contra algo absolutamente normal, mas contra um absurdo claro e flagrante contra as leis constitucionais do Brasil, nenhuma lágrima.

Antes que o pessoal da igrejinha venha de mimimi, uma coisa: o Brasil precisa de médicos, e de médicos de qualquer lugar. Contudo, não sou daqueles que pensa que para pobre serve qualquer coisa. Precisamos de médicos qualificados, portanto, que façam o Revalida, sem facilidades. Além disso, que tais médicos obedeçam as leis do Brasil e não de outro país qualquer. A Carta Magna brasileira é a última instância legal, e não pode haver outra. O governo brasileiro, ao permitir que cubanos vivam aqui sob as leis dos Castro, achincalha a população brasileira, ao submeter nossas leis às leis de uma ditadura. E para terminar: que os cubanos, venezuelanos, angolanos, argentinos, croatas, que passarem no Revalida, sejam muito bem-vindos, inclusive para ficar no país. Se o Brasil não aceitar o pedido de asilo de qualquer cidadão estrangeiro, sem que haja razão criminal para tal, será uma vergonha para a diplomacia brasileira, reconhecida por ser generosa e acolhedora. E assim desenvolve-se mais uma página da vergonha desse governo, que não vejo a hora de acabar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *