O Petismo Malufou?

Não são as fotos constrangedoramente cínicas, nem são os apertos de mão envergonhados, nem os sorrisos amarelos para as câmeras, nem a gagueira nas entrevistas públicas. De alguma forma, esse jogo é esperado numa democracia tão doente como a nossa. Nem é a insinuação pouco modesta e pouco realista de que não há pessoas melhores em outros partidos, nem em outros rincões do país.

 

Reprodução: Para quem ainda acha que o PT é o partido da ética...

Reprodução: Para quem ainda acha que o PT é o partido da ética…

O que realmente me causa vergonha, vergonha alheia eu diria, é a máxima do malufismo, do pior malufismo de todos os tempos, nos lábios de petistas históricos, de pessoas que não há muito defendiam a ética e a justiça, o direito e a integridade do país. Essas mesmas pessoas estão por aí repetindo o bordão de um dos piores políticos que a república brasileira produziu: “Rouba mas faz”! Que vergonha… Se eu pudesse olhar esses cidadãos nos olhos, se pudesse transmitir-lhes minha indignação, se pudesse perscrutar-lhes a alma eu lhes perguntaria quando foi que seus ideais se corromperam, a troco de quê se aliaram ao pior lado da história política do país, por que preferiram o medo à esperança?

Ao repetir a máxima, os petistas eles ficam do lado dos que acreditam que “os fins justificam quaisquer meios”. Dizem com orgulho que O PT rouba, sim, mas faz o Brasil crescer, faz a saúde melhorar, faz a economia deslanchar. Só que ao assumir esse espírito malufista, o PT também repete os mesmos horrorosos resultados: o Brasil melhora para os companheiros que roubam dinheiro público, a saúde melhora para os companheiros que podem pagar por planos de saúde exorbitantes, a economia melhora para os companheiros que escondem dinheiro vivo em casa ou fazem um pé de meia com doleiros amigos. Quem teve a vida mudada nesses 12 anos de neo-malufismo foram os petralhas, encravados em dezenas de empresas públicas, quem teve a vida mudada foram os parentes dos políticos desse partido sanguessuga, quem teve a vida mudada foram os empreiteiros e banqueiros amigos do sistema. A menina favelada continua semi-analfabeta aos 16 anos (é disso que se trata!), a vovó continua na fila do hospital pública, esperando um geriatra que não vai chegar (é disso que se trata!), o assalariado continua dependendo da “bondade” de um governo paternalista (é disso que se trata!), as empresas continuam sendo sufocadas por impostos abusivos (é disso que se trata!).

Ao escolher o malufismo, o petismo se coloca do lado do medo e dá um recado aos larápios: preferimos ser roubados por vocês a ter esperança de um país sem corrupção. Eu não posso concordar com isso.

Amigo petista, olhe nos olhos dos analfabetos que estão ao seu redor há 12 anos, dos professores que continuam a esperar a mudança prometida há 12 anos, dos aposentados de sua família que há 12 anos veem sua aposentadoria diminuir, dos defensores da democracia que se envergonham da política externa do país, faça um esforço de memória e me diga: como foi que você se tornou um malufista tão nojento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *