A Família do Futuro

Reprodução

Reprodução

Fomos convidados para escrever no blog “Conversa em Família”. Nós dois somos casados e temos formação na área de computação, mas somos apaixonados por famílias! Então, juntando esses dois temas, como sugestão, nos foi pedido que escrevêssemos como a tecnologia pode influenciar na família, ou vice-versa. Dissemos que íamos pensar na idéia, e pensamos.
Apesar da formação acadêmica na área de exatas, nossa paixão por família nos levou a fazer uma pós-graduação sobre desenvolvimento pessoal e familiar, onde estudamos diversos temas em relação ao comportamento humano. Uma das metodologias que conhecemos durante o curso foi o aprendizado através do cinema. E pensando nisso, resolvemos escrever esse primeiro texto refletindo sobre o filme “A família do futuro”!
Esse desenho animado conta a história de Lewis, um jovem inventor que foi deixado na porta de um orfanato ainda bebê. Sua genialidade o fazia especial e muitas vezes incompreendido pelas famílias que pretendiam adotá-lo. Com isso, Lewis se viu rejeitado por inúmeros casais e seu questionamento era sempre o mesmo: porque ninguém me quer, inclusive minha mãe? A busca por sua história e pela identidade de sua mãe biológica o fez estudar dia e noite para construir uma máquina que poderia ler a memória das pessoas, e assim poderia resgatar o único momento que esteve com sua mãe antes de abandoná-lo, e sair a sua busca.
Ele, porém, só não sabia que essa invenção iria levá-lo a grandes descobertas, mas não do seu passado, e sim do seu futuro. Um futuro cheio de grandes invenções, muita tecnologia e principalmente, uma grande e bela família. Uma família como todas deviam ser: unida, nas alegrias e nas tristezas, no sucesso e no fracasso, nos momentos fáceis e difíceis. Uma família que não fica procurando respostas e soluções no passado, mas o olha como aprendizado nas crises e crescimento para o futuro. Uma família que aprende que a modernidade e a tecnologia somente nos enriquecem quando olhamos primeiro aquele que está por detrás da máquina, e não se deixa escravizar por ela. Uma família naturalmente verdadeira, pai, mãe, filhos, avô, avó, tios e tias, que mesmo nas diferenças de seus membros, são unidos não por um sentimento passivo, mas por uma ação ativa e decisiva, o amor.
Não queremos ser “estraga prazeres”, e por isso não iremos contar o final do filme. Apenas o utilizamos como introdução para nossa primeira contribuição no blog “Conversa em família”. Nosso objetivo é apresentar reflexões sobre família, suas diferenças, suas riquezas, sobre como a tecnologia e os tempos modernos podem ajudá-la ou prejudicá-la. Enfim, sobre o futuro! Para terminar e não nos alongar mais, sugerimos que os leitores vejam “A Família do futuro”, em família, claro. E deixamos aqui a música desse belo filme, para que possamos perceber que é na família que aprendemos a ser o que somos, é nela que guardamos nosso passado e inventamos nosso futuro. Até a próxima!

A Familia Do Futuro (Disney)
Deixa ir
Tire o peso dos seus ombros
Pra Seguir
Sem se lamentar dos tombos
Deixe entrar
Essa luz que te define
No Final
Ficarão somente as recordações

No Lugar
Das angústias põe
A luz que vai brilhar
Envolver a tua vida
Tudo Bem
Se pra mim você se volta
Eu já sei
Sentimento Prevalece
No Final

A Vida se faz
Com essas horas
Pequenas maravilhas
Na voz do coração
Muitos se vão
Mas essas horas
Breves horas
Ficarão

Tudo que eu errei
As águas vão levar
Mas eu agora sei
Que estou no meu lugar

A Vida se faz
Com essas horas
Pequenas maravilhas
Na voz do coração
Muitos se vão
Mas essas horas
Breves horas
Ficarão

Luciana Hilario

6 comments for “A Família do Futuro

  1. Paula Alne
    8 de outubro de 2012 at 19:20

    Esse filme eh mto legal. . E mto emocionante. . Kra!!! Eu AMEEEEI!!!! <3

  2. Toninho e Angela
    11 de abril de 2011 at 22:48

    O texto está bem escrito. Agora fica o convite para vermos o filme em família e conferirmos se a sugestão foi boa mesmo.
    bjs dos coroas

    • Robson Oliveira
      11 de abril de 2011 at 23:16

      Ih, desafio!

  3. 13 de outubro de 2010 at 13:08

    Show!!!
    Vou procurar logo para ver com meu filhão e minha Digníssima esposa.
    Muito obrigado pela sugestão,
    Abraços.

  4. Robson Oliveira
    13 de outubro de 2010 at 12:40

    Parabéns pelo primeiro post!

    Este filme é realmente bastante instigante e apresenta valores familiares incomuns em nossa sociedade. A apresentação de vocês não deve nada ao filme.

    Abraço!

    • 13 de outubro de 2010 at 12:48

      Obrigada! Foi um grande amigo que nos incentivou a não enterrar nossos talentos! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *