Cinema em foco: Amor e Fidelidade

Reprodução

Reprodução

Acredito que seja senso comum que um dos pilares mais importantes que sustentam as relações humanas é o amor. A família é (ou ao menos deveria ser) o lugar onde todo ser humano experimenta pela primeira vez essas relações humanas, de forma intensa e necessária para sua sobrevivência. Sendo assim, o amor também é na família presença fundamental para seu sustento duradouro e saudável.

No entanto, o amor não reina sozinho nos relacionamentos familiares. Ele estende seus braços para outros ingredientes de igual importância: o respeito, a solidariedade, a amizade, a paciência, a fidelidade, entre outros. A reflexão de hoje irá tratar sobre a fidelidade na família, em especial, a fidelidade conjugal.

Reprodução

Reprodução

O filme “Cadê os Morgan?” apresenta os atores Hugh Grant e Sarah Jessica Parker numa comédia romântica, que trata o tema infidelidade conjugal de forma leve e às vezes engraçada. Seus personagens são profissionais bem sucedidos (Paul é advogado e Meryl é corretora imobiliária) que se encontram separados, por causa de uma “escapadinha” do marido. Esse se diz muito arrependido e tenta se aproximar da esposa para uma reconciliação. Forçados a participarem do programa de proteção a testemunha, após presenciarem um crime, eles são obrigados a largar todo o comodismo e conforto de suas casas e empregos bem remunerados para conviverem lado a lado novamente. Por causa dessa convivência forçada, ganham a oportunidade de conversarem francamente sobre o seu relacionamento conjugal e sobre o que os levou aos atos de infidelidade que provocaram a separação.

A fidelidade entre os esposos é fator essencial para a vivência e a plena realização do matrimônio. Ela está intrinsecamente ligada à natureza e a dignidade do ser humano, e por isso, os atos de infidelidade não só deterioram um casamento como ferem a essência do homem e da mulher. O ser humano está sempre em busca da felicidade. No entanto, essa busca trará resultados verdadeiros somente quando submetemos nossa vontade à nossa inteligência, usando nossa liberdade para decidir, e atentando a algumas normas naturais para ser feliz. A infidelidade não é inerente ao ser humano, pois o amor conjugal exige exclusividade e perenidade.

Reprodução

Reprodução

O matrimônio é uma instituição natural do ser humano, tendo como suas propriedades principais, a unidade e a indissolubilidade. A propriedade da unidade significa que um matrimônio é constituído entre um homem e uma mulher como uma doação total, e que, por ser total, não pode ser repartida entre outros homens e mulheres.

Porém, não é apenas através do adultério que marido e esposa podem ser infiéis um ao outro. Nas pequenas atitudes do dia a dia é que podemos exercitar a fidelidade e a lealdade conjugal. A mentira, por mais insignificante que seja, vai minando a confiança nas relações interpessoais, principalmente na família. A desconfiança também é alimentada pelas demonstrações de desamor, falta de atenção para com o outro, segredos entre pais e filhos. Por trás dos grandes atos de infidelidade conjugal e adultério estão as pequenas atitudes que corroem o amor como o desrespeito, a indiferença, a falta de um projeto em comum para a família trilhar unida.

No filme, antes da separação, Paul e Meryl estão vivendo um momento importante na vida de um casal, que é o planejamento da chegada dos filhos. Porém, por causa das dificuldades que estão enfrentando, eles não conversam sobre seus medos, anseios, desejos e sonhos, não abrem o seu coração um ao outro. A tensão e a pressão do momento, principalmente por parte de Meryl, associados à falta de diálogo entre os dois, gerou um desgaste e um afastamento. Esses pequenos gestos de não compartilhar sua vida com o outro já são pequenos sinais de infidelidade, e foram apenas uma faísca para Paul, que num momento de fraqueza e carência, se deixou levar pela tentação. É claro que isso tudo não justifica uma traição, mas explica muito de suas atitudes.

O amor entre um homem e uma mulher, como o ser humano, é imperfeito e precisa ser cuidado e alimentado todos os dias, pelos dois, para que cresça, amadureça e se fortaleça ao longo dos anos. Da mesma forma, a fidelidade no matrimônio é construída a cada dia entre os cônjuges. Gestos de respeito, preocupação, generosidade e verdade são formas importantes de regar o amor entre os esposos e na família. Quando pensamos nas crianças, esses atos tomam uma importância ainda maior, pois os filhos aprendem com os pais muito mais através dos exemplos do que pelas palavras. São as pequenas demonstrações de afeto, amor, carinho, cuidado, confiança e fidelidade que ensinam as crianças esses valores tão importantes e indispensáveis para a vida.

3 comments for “Cinema em foco: Amor e Fidelidade

  1. Karina
    25 de janeiro de 2011 at 09:17

    Até porque, muitas vezes a traição física acontece justamente quando o iceberg das menitras de destratos cotidianos já ocupou todo o espaço dentro de casa.

  2. Priscila
    26 de dezembro de 2010 at 09:04

    Como a autora do texto descreveu pequenas infidelidades poderão se amontoar e ajudar a provocar uma infidelidade do tipo, digamos, física..q seria a tão “temida” traição…Mas, será que a traição física é o pior dos males para um matrimônio? É muito ruim, sim. Mas o que dizer das mentiras cotidianas ao longo de anos, dos segredos e da falta de diálogo? Não seriam essas pequenas traições muito pior para a saude do casamento do que uma fraqueza momentanea? De fato, nao sei se essas coisas podem ser medidas numa balança…Mas o mais importante a um casal é cultivar esse cuidado nas pequenas coisas a cada dia para que seu vínculo seja fortalecido e tenha vigor suficiente para passar pelos momentos de dificuldade.

  3. Robson Oliveira
    22 de dezembro de 2010 at 15:51

    Infidelidade parece ser muito mais que traição sexual. Não apoiar o cônjuge em seus projetos, não confiar-lhe seus problemas, tudo é um modo de ser infiel. Será que este tipo de atitude são pequenas infidelidades que podem preparar uma infidelidade maior, como o abandono do lar ou semelhante?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *