“Eu sou a Imaculada Conceição!”

Ontem, dia 11 de fevereiro, foi dia de Nossa Senhora de Lourdes. Há 156 anos, a Mãe de Deus apareceu para uma menina, Bernadette Soubirous, camponesa de 14 anos, muito simples e sem estudo. Inicialmente, Bernadette nem sabia que a “dama” que via e conversava com ela era Nossa Senhora, e que ela estaria sendo instrumento de Deus para a conversão e a salvação de muitos, tanto na sua época como nos dias hoje.

[iframe: width=”420″ height=”315″ src=”//www.youtube.com/embed/UoGYXDoUz5o” frameborder=”0″ allowfullscreen]

Canção de Bernadette, 1943

A aparição de Maria na pequena cidade ao sul da França trouxe muitas graças para a Igreja e seus fiéis. Na gruta das aparições, Nossa Senhora pediu à Bernadette que cavasse um buraco, onde brotou água de uma nascente até então desconhecida. Essa água milagrosa curou muitos doentes ao longo desses anos, e até hoje é local de peregrinação de milhares de enfermos e pessoas de muita fé.

Eu e meu marido tivemos a graça de ir a Lourdes em 2005 e passar um dia inteiro no Santuário. A cidade vive e respira a devoção a Nossa Senhora, padroeira dos enfermos, e a fila de peregrinação de pessoas em cadeiras de roda, macas, bengalas, muletas e com diferentes doenças, em busca da fonte de água milagrosa para cura física, espiritual, ou apenas conforto para a alma, é interminável! E o que mais me emocionou foi a fé dessas pessoas, muitas vezes chegando com muito sacrifício na certeza que receberão as graças pedidas. Essa fé na cura dos enfermos me trouxe um questionamento que até hoje me interpela: qual a firmeza da minha fé para ter tal confiança em Cristo Jesus e em sua mãe, que intercede por nós, para pedir a Deus para curar nossas enfermidades físicas e espirituais? Eu sei que tenho muito a caminhar e vou sempre pedir ajuda da Mãe de Deus. É um caminho a ser trilhado com constância, paciência, mansidão.

Lourdes é um lugar com um “ar” diferente, especial, espiritual, divino. É impossível você chegar nessa cidade e não se sentir em paz, não sentir que realmente algo sobrenatural aconteceu ali. A presença de Nossa Senhora, rainha da paz, é constante, o que nos anima na fé, na certeza que Deus nos ama tanto que enviou seu Filho para nos salvar, e sua mãe para interceder por nós, pecadores. Inclusive essa é uma das mensagens das aparições de Lourdes: que os fiéis rezem mais o terço e façam mais penitência pela salvação dos pecadores. Maria é uma mãe muito amorosa, que quer a salvação de todos os seus filhos e intercede por nós a Deus-Pai pelas nossas necessidades.

Em 1830, também na França, uma jovem noviça das Filhas da Caridade, Catarina Labouré, recebeu a graça que tanto pediu a Deus por intercessão de São Vicente de Paulo: ver a Santíssima Virgem. Foi através de uma das 3 aparições da Mãe de Deus que Irmã Catarina viu a medalha milagrosa com a imagem de Nossa Senhora das Graças e a oração: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a Vós!”. Com essa mensagem, a própria Virgem apresentava a humanidade o desejo de Deus para a mãe de Seu Filho Jesus.

Em Lourdes, a pequena camponesa, Bernadette, se tornou instrumento de Deus para, mais uma vez, nos trazer a mensagem de Nossa Mãe Maria que, na época, ratificou uma verdade de fé que a Igreja havia declarado 4 anos antes: o dogma da Imaculada Conceição. Após ser questionada pelas autoridades quem era a dama que ela via, Bernadette perguntou a Nossa Senhora quem era Ela. Após estender os braços – como a imagem da Medalha Milagrosa – juntou as mãos à altura do coração e respondeu: “Eu sou a Imaculada Conceição!”. Ora, Bernadette era uma simples camponesa, ignorante, não tinha conhecimento do dogma que o Papa Pio IX havia declarado! Assim, não teria como ter inventado essa história, mas sim ouvido essas palavras direto da boca da Santíssima Virgem!

Que bênção para a humanidade ter uma Mãe como Maria, puríssima, desde de sua concepção, escolhida por Deus desde sempre! E que mãe amorosa, que ama e cuida dos filhos, e vem visita-los como em Lourdes, Fátima, Paris, Guadalupe, e tantas outras aparições ainda em estudo. Escutemos a voz de nossa mãe, que nos clama à oração, à penitência, à remissão dos pecados e ao amor a seu Filho Jesus Cristo! E a Ele que Nossa Senhora aponta, é para Ele que são todos os louvores!

Luciana Hilario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *