Prova de fogo: paz na família

Como já conversamos nesse blog, um de nossos objetivos é refletir sobre assuntos de família através da vivência de personagens de filmes. A ideia é que não precisamos viver certas experiências para aprendermos o que é bom e o que é ruim para nossa vida. Por que não refletir sobre certos fatos a partir da sétima arte?

Gostaríamos de convidá-los a refletir sobre um bem que todos nós desejamos muito: sendo casados ou não, todos viemos de uma família e almejamos que a paz seja sempre um de seus membros. Mas o que precisamos para alcançar essa paz tão desejada? Quais são os esforços e reconhecimentos que precisamos buscar?

Reprodução

Filme: Prova de Fogo

O filme “Prova de fogo” nos traz a história de um casal, Caleb e Catherine, que estão em crise no casamento. Caleb é um bombeiro bem sucedido, corajoso, disposto a empreender todos os esforços para salvar as pessoas de acidentes e incêndios, valorizado e admirado pelos colegas. No entanto, todo esse esforço não se encontra presente em sua casa, no trato e paciência com sua esposa, que não o vê como bombeiro herói, mas sim como um homem orgulhoso e cheio de defeitos.

Para nos ajudar na reflexão sobre o filme, encontrei preciosas informações num livro muito interessante, chamado “A paz na família”, do Pe. Francisco Faus. Vamos juntos identificar os pontos fracos mostrados pelo filme no casal, que pode acontecer com qualquer família, e verificar qual a “receita” que o livro nos apresenta para esse mal.

Reprodução

Para ajudar nessa descoberta, precisamos tomar consciência de uma verdade muito importante: na vida, somente podemos modificar a nós mesmos. Tolos são aqueles que querem “mudar o mundo” mudando os outros que estão à sua volta. Precisamos olhar para nós mesmos, para nossos defeitos, nossas atitudes, para que uma mudança comece a acontecer. E quando se diz respeito a obter paz na família, essa é a primeira lição que precisamos aprender e nunca mais esquecer. Mesmo quando, num primeiro momento, só vemos os problemas que os outros membros de nossa família estão causando para tirar a paz no lar, precisamos fazer um exame mais profundo, minucioso, com humildade e generosidade, para enxergar quais são os nossos defeitos que estão colaborando nessa falta de paz. Acredito ser esse o primeiro passo.

Voltando um pouco ao filme, podemos ver que, desde o início, tanto Caleb quanto Catherine não conseguem enxergar como podem estar tirando a paz no seu lar. Ficam apenas apontando os erros um do outro, acusando-se mutuamente, sem olhar para si mesmos. Nessa cegueira, na falta de humildade e generosidade, não conseguem ver os caminhos que precisam trilhar e querem desistir, pedindo a separação. Mas será essa mesmo a solução para nossos problemas, desistir de lutar? E o que será essa cegueira?

Pe. Francisco Faus nos apresenta uma bela comparação sobre o nosso coração. Ele diz:

O coração humano pode ser comparado a um instrumento de cordas. (…) Virtudes que soam bem, ou defeitos que soam mal. Os outros, quer sejam amáveis ou grosseiros, quer sejam pacientes ou irritadiços, farão soar dentro do nosso coração uma nota conforme as nossas cordas. Se a corda da generosidade anda fraca, qualquer atitude da esposa, do marido, do filho ou do pai que exija algum sacrifício fará vibrar a nota desafinada do mau-humor. Pelo contrário, se o coração for grande e a corda da generosidade estiver “bem temperada”, mesmo as agressões mais desagradáveis dos outros farão ressoar a nota da compreensão, da afabilidade que desvia a discussão, da grandeza de alma que finge nem ter reparado na ofensa. E, então, haverá paz.”

Segundo o autor, existem muitas cordas defeituosas ou “mal instaladas” que podem atrapalhar nosso caminho para obter a paz na família. Uma dessas cordas é o orgulho, que pode nos trazer a cegueira para nossos defeitos, nos tornando muitas vezes pessoas que valorizam a si mesmas de forma exacerbada, como se fossem “deuses”, perfeitos, superior a todos a nossa volta.

Os elogios e a admiração das pessoas por Caleb por sua coragem em sua profissão, que eram bons e verdadeiros, contribuíram para ressaltar seu orgulho, sua vaidade por si mesmo. Esse sentimento exacerbado não o fazia enxergar como poderia ser uma pessoa melhor para sua esposa, o que estava fazendo de mau para ela. Da parte de Catherine, com seu orgulho ferido, ela também não conseguia dar o valor devido ao trabalho de Caleb, passando os momentos com ele criticando suas atitudes como esposo, reclamando.

Mas como vencer o orgulho e tantas outras “cordas desafinadas” em nossa família para construirmos uma paz sólida? Minha intenção não é apresentar uma receita pronta, mas sim convidar a todos para uma reflexão mais profunda acerca desse tema. Muitos são os caminhos, pois muitas são as virtudes que precisamos alimentar em nossa alma para que sejamos pessoas melhores, pessoas de paz. Nosso filme, “A prova de fogo”, apresenta um caminho de amor, no qual devemos olhar para nós mesmos e pensar mais no próximo mais próximo, que pode ser nosso cônjuge, ou mesmo outro membro da família. O livro “A paz na família” mostra outros tantos caminhos e virtudes que são fortes aliados nessa luta constante. Mas, na minha opinião, a melhor receita para buscarmos uma família de paz está na carta de São Paulo aos Colossenses (Cl 3, 12 -15), que diz assim:

“Vós sois amados por Deus, sois os seus santos eleitos. Por isso, revesti-vos de sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos mutuamente, se um tiver queixa contra o outro. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai vós também. Mas, sobretudo, amai-vos uns aos outros, pois o amor é o vínculo da perfeição. Que a paz de Cristo reine em vossos corações, à qual fostes chamados como membros de um só corpo. E sede agradecidos.”

Busquemos, então, nos esmerar nesse vínculo da perfeição que é o amor, que não é sentimento, mas decisão, e que, como o amor de Deus por nós, é uma decisão renovada todos os dias de nossa vida.

Luciana Hilario

6 comments for “Prova de fogo: paz na família

  1. luciana
    25 de Março de 2015 at 23:35

    Esse filme é muito lindo serve para nos lembrar como é importante o valor de um casamento o respeito o compromisso é maior de TDs os valores Deus em nossos lares amei perfeito

  2. Maria
    28 de dezembro de 2014 at 10:39

    Crescei e multiplicai essa frase tão conhecida, para mim tem significado diverso, ou seja, entendo que ser um pessoa melhor é crescer . Ajudar pessoas a serem melhores é multiplicar. A corrente do bem precisa crescer mais rápido que o mal. Graças a Deus a internet é nossa aliada.

    Muito obrigada por compartilhar!

  3. 8 de Janeiro de 2013 at 09:37

    Tenho este filme e volta e meia empresto para casais amigo. sempre que possível assistimos juntos e debatemos ao final. É muito bom, leva a uma reflexão interessante.

    Teve um dia que levamos a um casal amigo e tinha um outro casal amigo deles, que estava meio em atrito. Vimos o filme todos juntos e deu para perceber que esse casal em atrito parou para refletir e ja estava mais calmo ao final.

    Deuz abençoe
    Pax et Bonum
    Philipe Lucas

  4. ELIO JOSÉ PACHECO
    4 de Janeiro de 2013 at 10:23

    De fato, o que, infelizmente, prevalece a falta do perdão e amor ao próximo. Devido a grande incidência da “dureza de coração”, nos parece até que tais ensinamentos não estão escritos na Palavra de Deus, assim, em não não sendo observados o amor e o perdão ao próximo não tem paz familiar, e, como consequência, o casal não prossegue na união estabelecida pelo matrimônio.

  5. Rafa
    3 de Janeiro de 2013 at 16:04

    Parabéns pelo texto Luca, muito bom!!
    Bjs
    Rafa

  6. Christiane
    3 de Janeiro de 2013 at 11:37

    Muito lindo o texto… E pura verdade!

    Bjs e Abrs,
    Christiane.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *