Açaí, guardiã, zum de besouro um imã

Reflexão sobre a educação do Brasil

Nunca mais Arthur Xexéo poderá ironizar as letras das músicas de Djavan, no meu entender um dos maiores cantores do Brasil. Depois do Enem 2013, onde absurdos sem fim foram aprovados pelos professores avaliadores, sob a batuta do Ministério da Educação, é muito difícil não perceber aonde o governo federal e suas políticas leva o ensino do Brasil. Ocorre que a política educativa do governo da “presidenta” Dilma, especialmente nas diretrizes de correção das redações do ENEM, é capaz de fazer o milagre de tornar incompreensível a própria existência do Prêmio Zum de Besouro, que brincava com a irracionalidade de letras musicais. Mas como ainda exigir que haja coerência e lógica quando o órgão responsável por guardar a qualidade e seriedade do ensino permite absurdos francamente descabidos?

 

 

A vergonha é tamanha que nem os meios de comunicação (bonzinhos à beça com os últimos governos) conseguiram deixar de veicular exemplos em que a educação brasileira é achincalhada, sob os olhares e conivência do próprio governo, sem dúvida. O governo que prometeu mudar a educação do país está no poder há mais de 10 anos e, não apenas nada mudou, mas piorou a qualidade de seus alunos e professores a olhos vistos! Apenas homens e mulheres mais comprometidos apaixonada e irracionalmente com ideologias desumanizadoras podem tentar absolver ou desculpar esse governo pelos absurdos cometidos no campo educacional.

 

 

Se o governo federal pode esconder o índice de inflação, que já galopa e corrói os salários dos mais pobres nos mercados e ninguém diz um ai na imprensa, eles também podem escamotear o fiasco que é a formação educativa da população. Mas como é possível fazer com que o Brasil melhore a qualidade de vida de seus cidadãos sem investir maciçamente na educação fundamental e básica?

 

O motivo pelo qual as coisas não mudam nesse governo é o mais simples pragmatismo: não interessa – como não interessou à maioria dos governos brasileiros até aqui – dar formação e educação de qualidade a suas crianças. Afinal, fazer isso seria acabar com os “currais eleitorais”, necessários para sua manutenção no poder.

2 comments for “Açaí, guardiã, zum de besouro um imã

  1. herbert burns
    8 de abril de 2013 at 23:48

    O pior é que quanto mais hilário mais grave é a situação. Chico Anysio (Professor Raymundo) deve estar se contorcendo no túmulo.

  2. iliana mussoi
    3 de abril de 2013 at 16:12

    A última ” pérola” me parece transcrição de discurso do Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *