Como se trata um Chefe de Estado?

Alguém tem de dizer a esse senhor como se trata um Chefe de Estado

O Brasil (ainda) é uma nação democrática. Ora, o domínio da lei é um dos elementos característicos das nações que se deixam nortear por essa forma de governo. A Constituição Federal dos países e os Contratos Internacionais assinados pelas nações são garantias de que, muito mais que os modos de eleição representacional, todos temos os mesmos direitos, todos somos iguais diante das leis. Esse é um dos princípios garantidores da democracia! Ora, há um grupo de brasileiros que trabalha incessantemente para não se dobrar diante das leis. E eles descumprem até resoluções de Direito Internacional.

O deputado federal sem voto, Jean Wyllys, novamente (pois já fez o mesmo no passado) demonstra sua intolerância ofendendo franca, covarde e injustamente um Chefe de Estado, legalmente constituído e em pleno uso de seus direitos: o Papa Bento XVI. O deputado, que já confessou pouco se importar com a opinião do povo brasileiro com respeito ao “casamento civil” homossexual, levanta acusações historicamente falsas e cientificamente mentirosas para atacar o Papa e, consequentemente, os cristãos em geral. Tudo isso porque tem certeza que não sofrerá qualquer reprimenda da Casa Legislativa que compõem, pois acha que os gays estão acima da lei. Mas não devia ser assim, já que infringiu uma resolução internacional.

[iframe: width=”420″ height=”315″ src=”http://www.youtube.com/embed/ixm4R63vKt8″ frameborder=”0″ allowfullscreen]

Dep. Jean dizendo que está se lixando para a opinião dos eleitores

De fato, o dep. Jean descumpriu o artigo 1 da Resolução do Instituto de Direito Internacional, de 2001, realizado em Vancouver-Canadá, cuja primeira orientação é tratar a pessoa dos Chefes de Estado com respeito e dignidade:

“A pessoa do chefe de Estado é inviolável no território de um Estado estrangeiro. Ele não pode ser submetido a nenhuma forma de detenção, de modo que as autoridades do País estrangeiro devem tratá-lo com respeito e salvaguardar sua pessoa, liberdade e dignidade’’.

“La personne du chef d’Etat est inviolable sur le territoire d’un Etat étranger. Elle ne peut y être soumise à aucune forme d’arrestation ou de détention. Les autorités de celui-ci traitent ce chef d’Etat avec le respect qui lui est dû et prennent toutes mesures raisonnables pour empêcher qu’il soit porté atteinte à sa personne, à sa liberté ou à sa dignité’’.

Em um país decente esse deputado, que é uma autoridade constituída pelas leis desta nação, sofreria alguma repreensão pública por faltar com o respeito e a dignidade a um Chefe de Estado, valores respaldados nas mesmas leis que o elegeram e com a qual avilta o digníssimo Santo Padre . O achincalhe e o desacato impetrados pelo deputado sem votos, sempre e novamente contra o Santo Padre, testemunha o descuido com que o Brasil lida com as instituições e com as leis.

Enquanto não houver um grupo de brasileiros disposto a produzir e a cumprir leis justas nessa nação, os brasileiros comuns – e principalmente os mais desvalidos – continuarão sendo vítimas desse tipo de gente. E o Brasil continuará a ser essa pseudo-nação, que consigna leis internacionais, mas permite a alguns indivíduos o descumprimento das mesmas leis que constituem a nação democrática. Alguém tem de dizer a esse senhor como se trata um Chefe de Estado.

5 comments for “Como se trata um Chefe de Estado?

  1. AMARO HELIO COSTA DOS SANTOS
    2 de Janeiro de 2013 at 14:13

    No meu entender, o que esta acontecendo com esse individuo é simplesmente falta do que fazer e nao tendo como argumentar ele ataca de forma incoerente e sem nenhum saber. Acho que o importante e que tomem as providências necessárias para mostrar um pouco a essa pessoa que nao se pode falar tudo assim sem ter respostas.

  2. Pedro
    25 de dezembro de 2012 at 07:16

    Sobre isso, ver a entrevista de Philip Jenkins (prof. de História da Universidade da Pensilvannia) sobre a cultura de preconceito anti-católico na sociedade contemporânea (http://www.youtube.com/watch?v=nvLqR0FChEk; a entrevista está em inglês). Jenkins é autor do livro “The New Anti-Catholicism: the last acceptable prejudice”.

  3. Elio José Pacheco
    22 de dezembro de 2012 at 14:09

    De fato, o Sr. Deputado devia ser punido por não cumprir a legislação vigente. Ademais, ele desrespeita uma Autoridade Religiosa que representa o povo católico. Ele tratou mal o povo católico, na pessoa de sua Santidade o Papa Bento XVI.

  4. Elio José Pacheco
    22 de dezembro de 2012 at 13:57

    O Caro Deputado se acha tão bem informado, fazendo-me a imaginar que somente ele sabe de tudo e todas informações. Não sabe que recebeu o poder deste povo desclassificado (por ele) em seu desastroso comentário dado na entrevista.
    Lamento muito que isto tenha ocorrido “sabe tudo”!

  5. philipe lucas
    20 de dezembro de 2012 at 19:34

    Prof, não sei se existe, mas creio que a melhor saída seria uma associação de adovgados católicos entrar com alguma ação na justiça contra o dep.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *