Curtas sobre ciência – 02

Excelentes notícias sobre a pesquisa com células-tronco adultas no mundo. Se os resultados obtidos nestes dias fossem alcançados por meio da pesquisas com células embrionárias, todos os jornais e programas de tevê estariam destacando a importância destas descobertas. O futuro da medicina regenerativa é, sem dúvida, a pesquisa com as próprias células dos pacientes. Do ponto de vista científico, fica cada vez mais difícil de entender por que alguns, realmente comprometidos com a busca da verdade e a a cura de doenças, ainda insistem com pesquisa com células-tronco embrionárias.  Do ponto de vista ético, essas pesquisas serão sempre um retrocesso.

1. Paciente tem traqueia substituída. Por causa de um câncer, um paciente americano teve que retirar todo o órgão, que foi substituído por um outro, produzido em laboratório, a partir das células da medula do próprio paciente. O médico, Dr. Paolo Macchiarini, especialista em medicina regenerativa, está confiante no resultado desta técnica. O paciente não tem mais câncer e poderá retomar sua vida normalmente (Wall Street Journal).

Informações básicas sobre Células adultas

2. Tratamento de doenças cardíacas com células-tronco adultas avança. Médicos da área cardiológica deveriam acompanhar de perto as pesquisas que acontecem em Houston – EUA. Um estudo publicou os princípios e as etapas de uma terapia, que já vai para sua terceira fase, que tem alcançado excelentes resultados ao injetarem células-tronco adultas em pacientes cuja angioplastia não alcançou resultados (The Cypress Times).

3. Artigo aborda a Teoria Evolucionista e os Mass Media. Em artigo muito sóbrio, um grupo de pesquisadores americanos traduziram muito bem o que se pode deduzir da tese evolucionista e o que não se pode deduzir dela. O que não se pode deduzir é atribuir caracteres existenciais aos elementos explicativos da evolução, como faz Dawkins. “Nossa existência é um mistério”, dizem os pesquisadores, daí ser um salto deduzir a razão da existência humana do evolucionismo, à moda Dawkins. Além disso, as constantes evolucionistas de Darwin, a saber: “mutação aleatória” e “seleção natural” são apenas dois elementos dentro de um conjunto muito mais complexo. “A evolução é um motor no desenvolvimento da vida sobre a Terra, no entanto, ela não representa um explanação exaustiva e mecânica de quem somos”. Vale ler a matéria toda em Il Sussidiario, em inglês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *