Haverá um “Fim do Mundo”

Só vou levar a sério uma previsão do fim de mundo se o “profeta” disser não apenas quando, mas também onde

Desde o filme-catástrofe 2012, há a expectativa recente na população de que o fim do mundo é iminente. Pessoas brincam nas ruas, alunos fazem graça nas aulas. No fundo deste sentimento é possível perceber a preocupação com o fim da figura desse mundo, com o término das coisas como as conhecemos. Contudo, esta preocupação não é nova.

[iframe: width=”420″ height=”315″ src=”http://www.youtube.com/embed/UzyHJcgowgE” frameborder=”0″ allowfullscreen]

Muitos outros personagens na história apontaram para o fim do mundo como conhecemos, destacando tragédias causadas pela ação física ou moral do homem. Um desses famosos “profetas” apocalípticos foi Jim Jones, pastor protestante americano, que no século XX matou centenas de seguidores envenenados em um país da América do Sul. O desastre virou tema de piada para Chico Anysio, que brincava na década de 1980 com a personagem Tim Tones, um pastor pilantra, que se ocupava muito mais com as coisas desse mundo do que com o Reino dos Céus.  Os exemplos desse tipo de profecia se multiplicam, desde o antigo Egito, passando por seitas cristãs milenaristas, até o nosso tempo. Só vou levar a sério uma previsão do fim de mundo se o “profeta” disser não apenas quando, mas também onde. Afinal, 2012 começou mais cedo para os japoneses e indonésios. Uma profecia do fim de mundo completa tem que dizer não só quando, mas precisa também afirmar onde: dia 31 de dezembro de 2012, no fuso de Brasília. Ah, talvez assim eu leve a informação a sério, pois saberei que no Japão já é 2013.

Pois bem, hoje à noite haverá um programa especial na tv aberta sobre o fim do mundo.   Certamente para desmitificar a ideia tola de que o mundo vai acabar, dar-se-á voz a alguma autoridade científica, novo profeta do século XXI, que sustentará sem gaguejar que o mundo jamais vai acabar. Um novo modo de dizer aos homens contemporâneos: não morrerás! É necessário dizer que tão folclórica quanto a pretensão de prever o dia e a hora do fim do mundo é dizer que o mundo não acabará nunca. Sim, o mundo pode acabar para você que lê estas linhas agora, com sua morte, que aliás é iminente. As delícias, as gostosuras, as benesses desse mundo que você tanto gosta, destes bens que tanto aprecia poderão acabar daqui a 1 segundo. E quando isso acontecer, o mundo terá terminado para você. Mas também pode acontecer que o mundo acabe fisicamente, por causa de uma catástrofe natural. Por exemplo, um choque com algum asteróide. Importa lembrar que não faz um ano a senhora Nasa, que garante que não há corpos astronômicos em rota de colisão com a Terra, não sabia onde cairia um satélite do tamanho de um ônibus, por ela lançada e vigiada.

O mundo como conhecemos está na beira do seu fim: ao menos no nível pessoal. Então, antes de dar ouvidos aos profetas imprecisos e generalistas, cuide de preparar-se para o fim inevitável da sua própria vida com o exercício de virtudes que o tornem melhor do que é.

“O mais terrível de todos os males, a morte, não significa nada para nós” – Epicuro. Por que o Senhor Jesus venceu a morte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *