Lembre as Mentiras sobre Ciência divulgadas pelas Telenovelas

O uso das novelas como meio de influenciar as massas no campo científico e político

Divulgação

Fico pensando no quanto o povo brasileiro é enganado, por causa da ação da televisão em suas vidas. O poder que essa mídia possui é assustador e muitos cidadãos não se dão conta de quanto se deixam modelar pelas informações que são veiculadas pelas novelas, de todas as emissoras. No campo científico, a manipulação é ainda mais gritante e é revoltante que os profissionais das respectivas áreas mantenham-se em silêncio, enquanto a população é enganada. Dois casos são exemplares do drama que a divulgação científica amadora e irresponsável pode produzir na vida dos indivíduos: O Clone e Viver a Vida.  

Aproveitando-se da informação sobre a clonagem que produziu a famosa ovelha Dolly, a autora Glória Perez, de modo precipitado, escreveu uma telenovela que pretendia, divulgando a técnica da clonagem como algo certo e sem problemas,  capitalizar discussões políticas e religiosas em torno deste evento. Toda a trama tratou das implicações éticas e religiosas da ciência, que  são, sem dúvida, o tema mais difícil. No entanto, em nenhum momento a autora refletiu sobre a veracidade das informações sobre a técnica de clonagem. De modo irresponsável, e com claro intuito de provocar o descrédito na religião – os representantes do catolicismo e do islamismo que dialogam com o cientista na novela são patéticos! – a autora sugere que a morte pode ser vencida pela técnica da clonagem e que a produção de órgãos saudáveis para substituir doentes é possível (o diretor da novela ainda mantém informações sobre isso no próprio site). Todas essas mentiras científicas tinham apenas um objetivo: diminuir a importância do discurso religioso, já que nem a vitória sobre a morte nem a produção de órgãos foi possível, é possível ou será possível em médio nem longo prazo, a partir dessa técnica. A clonagem de animais gerou mais problemas que soluções – Dolly morreu com doenças incompatíveis com sua tenra idade – e a produção de órgãos por meio de clonagem é o sonho da geração nazista: seres humanos (clonados ou não) servindo de banco de órgãos para outros.

Viver a Vida - Reprodução

Mas o pior caso foi o da novela Viver a Vida. Por causa da discussão sobre o uso de células-tronco embrionárias para pesquisas no STF, o autor do folhetim – Manoel Carlos – vendeu para as suas vítimas cotidianas que, com o uso de células-tronco, uma paraplégica poderia voltar a andar, sem problemas e com rapidez. A mensagem era clara: se você é contra o uso de células-tronco embrionárias, você é um insensível, tosco e anticientífico! Com a ajuda dessa mídia, a população imaginou que tudo a cura da tetraplegia estava às portas. Com essa propaganda foi fácil saber o resultado que o STF tomaria na discussão sobre o uso das ditas células, mesmo que nenhum bom resultado tenha sido alcançado até hoje. O STF decidiu, a personagem da novela voltou a ter sensibilidade nas pernas, mas acontece que a pesquisa com células-tronco embrionárias é um fracasso em todo o mundo.

Para além das discussões éticas – que são as mais importantes, repito, pois é monstruoso criar seres humanos como banco de órgãos para um grupo -, o que chama a atenção é a absoluta falta de competência desses autores no campo científico. Pelo contrário, os dados científicos são utilizados de modo ideológico nessas novelas, para convencer seus telespectadores de benefícios inexistentes ou vantagens, ao menos, duvidosas da ciência. No fundo, o objetivo é mudar a opinião do cidadão médio, pouco acostumado com essas discussões e mal informado sobre a verdadeira situação destes temas complicados.

Por isso que, se eu fosse cadeirante, perguntaria ao Manoel Carlos porque, até agora, nenhum dos tetraplégicos do mundo voltou a andar? Glória Perez deveria explicar como é possível que não haja órgãos clonados pelas esquinas, já que – segundo sua teoria – isso é possível e descomplicado.

A verdade sobre tudo isso é que as pesquisas com células-tronco que estão avançando não são com embriões humanos e a técnica da clonagem é um sucesso como técnica, mas um fracasso no controle do resultado, provocando doenças nos animais e nos órgãos destes animais clonados. Seria muito bom ouvir um pedido de desculpas dos autores dessas novelas. Afinal, eles estão fazendo a mesmíssima coisa que acusaram as televisões de realizarem na época da ditadura: usando a televisão e seus programas como instrumentos para manobra das massas.

2 comments for “Lembre as Mentiras sobre Ciência divulgadas pelas Telenovelas

  1. Thaís Vianna de Moraes
    17 de setembro de 2011 at 15:53

    O antropocentrismo, como disse o Beato Papa João Paulo II, que vivemos neste século é que leva à falta de amor ao próximo e o desrespeito à Deus. Tudo é feito para a santa vontade do homem e mais ainda, para santa vontade daqueles que se julgam merecedores da dignidade humana. Com isso, o que vemos, é o homem “irracionalizando-se”, pois vive, pensa e age em “bando”.

  2. Mazir Mendonça
    15 de setembro de 2011 at 11:33

    É realmente uma questão bem complexa até hoje. Mas realmente a TV é um dos poucos meios de entretenimento para muitas famílias, e com isso a mesmas são contaminadas e induzidas por informações errôneas, além de também serem influenciadas por idéias homossexuais… entre outras tantas porcarias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *