Qual o motivo da nossa existência?

Toda a criação está em função da Glória de Deus. Logo, devemos renunciar a todas as glórias mundanas para que glorifiquemos Àquele que nos amou primeiro. Tudo pode ser “consagrado” à Glória de Deus. Até mesmo um pequeno objeto recolhido com amor pode salvar uma alma (Sta. Therezinha de Lisieux) pois todo ato não é pequeno se revestido de amor.

São importantes os detalhes no crescimento espiritual. Aquilo que ninguém percebe é aquilo que Deus vê no íntimo de cada um. Quem não pode cuidar do pequeno e do pouco, igualmente não cuidará quando for grande e vultuoso; aquele que não for fiel no pouco, no muito também não o será; quem no pouco não ama, não amará no muito. As pequenas coisas, os detalhes, dão o tom da vida interior do homem. Sejamos atentos aos chamados e as possibilidades de satisfação de cada um.

Imaculada Conceição - Rubens

Contudo, tal propósito não é fácil pois a natureza decaída do homem concorre negativamente para este fim.

Oração: Ajudai-nos, ò Senhor, a manter o fervor do primeiro amor: “Se todos pelo menos mantivessem o fervor do início da vocação, todos seriam santos” (São Francisco de Sales). Que a santificação pessoal seja nosso propósito, pois esta é, com certeza, a Vontade de Deus. E a concretização deste fim é a maior Glória de Deus.

1 comment for “Qual o motivo da nossa existência?

  1. Marcelo\Mrg
    24 de abril de 2014 at 15:49

    Considerando que não acredito que a definição de Deus na Bíblia é: Eu fui e sempre serei. Pois isto teria conferido realidade ao passado e futuro. Deus disse: EU SOU O QUE SOU. Aqui não existe o tempo só a presença, em contrapartida a palavra eternidade não significa tempo sem fim, mas sim tempo nenhum, do mesmo modo as palavras eu sou utilizadas em uma frase que começa no tempo passado indicam uma mudança radical, uma descontinuidade na dimensão temporal. Todavia, essa é a razão pela qual Jesus falando sobre sua essência ou a identidade de Cristo, diz nas palavras de Tomé: Rachem um pedaço de madeira, lá estou eu. Levantem uma pedra e me encontraram ali.
    …É preciso que sejamos em ato o que somos em potência…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *