Recuo estratégico do Governo em relação ao “Kit-Gay”

O governo faz recuo estratégico na distribuição do kit pró-homossexualismo, elaborado por ONG e paga com o dinheiro público. Como disseram acertadamente Deus lo Vult e Julio Severo, não se trata da conversão do governo ao discurso pró-vida. É apenas a velha tática “recuar 3, avançar 6”. E qual a razão desta tática? A pressão que as bancadas cristãs e da família têm realizado sobre o governo. Ontem a bancada ameaçou levar Antonio Palloci a prestar esclarecimentos no Plenário da Câmara, além de abrir CPI’s para averiguar contratos do MEC com ONG’s homocompanheiras.

A pressão da oposição deve continuar. Ontem foram divulgados os nomes dos senadores que reabriram o PLC 122/06. Eles precisam saber que estamos acompanhando o que fazem em Brasília. Do mesmo modo, esse recuo do governo não pode ser interpretado pela oposição como o fim da guerra, mas uma pequena vitória em uma longa batalha.

4 comments for “Recuo estratégico do Governo em relação ao “Kit-Gay”

  1. Roberta
    29 de maio de 2011 at 22:51

    Fiquei até otimista quando soube que o kit não seria mais distribuído. Mas, quando a esmola é demais…

    • Robson Oliveira
      29 de maio de 2011 at 22:53

      …os santos têm de desconfiar!

  2. Zaíra Vargas
    28 de maio de 2011 at 17:09

    Primeiro eles gastam o dinheiro público, ou melhor, deixam gastar, depois dizem:” Isto não pode”.
    Primeiro eles compram os carros com o nosso dinheiro, até para os que estão presos, depois dizem:” Eu não quero”.
    Não há mais licitação?

  3. Priscila
    25 de maio de 2011 at 20:56

    Em 2006, nós católicos cariocas viramos o jogo nos 45 minutos do segundo tempo elegendo Dornelles senador para impedir que D. Jandira ocupasse o cargo e desse cabo ao plano de legalizar o aborto. Eis q agora o “nosso candidato” dá as caras e assina um requerimento que vai contra os princípios cristãos. Merece que escrevamos para sua assessoria, pois nosso voto nao mais terá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *