Relacionamentos em Crise

Há muito tempo acompanho relacionamentos que agonizam. São jovens ou não tão jovens, que sofrem por não se sentirem realizados em namoros, noivados ou até casamentos nos quais a humanização própria e do outro está longe de acontecer. Mas por quê? Nossa juventude passa por uma crônica crise de generosidade.

Família, Dom de Deus

Família, Dom de Deus

O matrimônio ou é doação entre duas pessoas, de tudo o que se é, ou é apenas um comércio entre mercadores, um contrato mercantil, uma troca de interesses. As pessoas entram e saem de relacionamentos ruins – e podem estar em um agora mesmo – porque não aceitam pagar o preço de um matrimônio saudável: ser generoso não é opcional nos relacionamentos humanos. É preciso generosidade para aceitar o outro como ele é, com seus defeitos e virtudes; é necessário ser generoso para não se fechar em relacionamentos estéreis por medo de ter filhos; e principalmente, é necessário ser generoso para reconhecer que há um plano para os matrimônios, um plano que não é nosso e que vai além de nossos interesses mesquinhos e materialistas.

Relacionamentos entram e não saem de crises porque seus membros não entendem que há um enigma muito bem guardado sobre felicidade: não se é feliz sem amigos. Mas amizade e egoísmo não combinam. Então, se o seu cônjuge não é seu amigo, certamente é porque existe uma grande chance de a generosidade não ser o forte no relacionamento de vocês. Experimente ser mais aberto ao seu cônjuge, experimente ser mais aberto à vida! Você verá que as crises se dissiparão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *