A PROCURA DO SIGNIFICADO PERFEITO

Comentário: Compartilho a reflexão do Médico Milton Pires, necessária para o momento. Temos uma juventude de redes sociais, facilmente influenciável e manipulável. Confesso que continuo relutante, mesmo com pessoas íntimas e de boa-fé tentando me convencer de que a manifestação é importante para o país. Não tenho otimismo em relação às manifestações nas ruas, porque é um movimento horizontal, anárquico, sem lideranças (fiquei assustado com a adesão maciça à máscara do suposto “herói” de “V de Vingança”). Como conseguirá algo sem lideranças? Sem uma agenda política definida? E aí, dentre outros vários perigos, está o que considero o maior. Começo a acreditar que há toda uma rede esquerdista pensante querendo se aproveitar disso tudo. Estão na iminência de incitar (se já não estiverem) às escondidas o rumo da massa popular, para no momento oportuno se apropriar da causa a seu favor. Reflitam…

A PROCURA DO SIGNIFICADO PERFEITO 

Por: Milton Simon Pires (Fonte: heitordepaola.com)

Começou uma segunda etapa – parece que a grande mídia afinada com os petralhas e a “Unidiversidade Brasileira” se deu conta de que não se trata mais do preço da passagem de ônibus. Alguma coisa está errada, né “intelequituais”??

A imagem da Avenida Paulista lotada, pessoas de 70 anos dando entrevistas com a cara pintada de verde e amarelo, gente reclamando desde a corrupção, condições dos hospitais, segurança… reclamando “até mesmo” por causa da passagem de ônibus – mostra que são manifestantes em busca de uma causa… qualquer que seja ela..
A verdade, meus caros amigos, a verdade que ninguém até agora quer dizer é que as pessoas não sabem exatamente por que estão nas ruas! Meu Deus, será que é preciso um médico que não tem noção alguma de Jornalismo, que nunca estudou História, Sociologia ou Direito,  dizer isso ??

Isto posto, começo algumas observações – 100, 200.000 pessoas nas ruas é “sempre” bom? Não, não é não. Significa o povo “acordando” e “cansado com os políticos tradicionais”? Não, não significa não… Quer dizer que estamos fazendo uma “revolução” e “mudando o Brasil”? Não, não estamos! Mas  se 190 milhões de pessoas fizerem isso, Milton?? Nem assim, pô ! (para não escrever um palavrão)
Revoluções não começam com uma multidão nas ruas sem saber por que , revoltadas com “alguma  coisa” e dispostas a “mudar um país”. Isso nunca foi assim em parte nenhuma e portanto não vai ser exceção no Brasil. A  história toda da humanidade foi feita por elites pensantes. Pessoas que perceberam uma determinada situação como injusta, estudaram taticamente a situação, se preparam muito, conduziram multidões e mudaram o mundo. É patético assistir comentaristas políticos tentando dar uma explicação para algo que não tem. Números nunca substituíram idéias. Camisas amarradas no rosto não superam manifestos escritos. Comunidades no Facebook não são mais importantes que comícios. É isso que a LBB – Legião Brasileiras de Bobalhões, agora com o apoio de Marilena Chauí, não admite. Não há absolutamente nenhum projeto de poder a emergir das ruas. Não há nova cultura sendo construída nem é a democracia se aperfeiçoando!

Enquanto ninguém percebe isso, o perigo fornecido por uma multidão revoltada sem saber por qual motivo oferece uma nova oportunidade. Uma nova oportunidade sim, mas para as velhas forças de sempre. É a ralé da classe política tradicional, liderada pelo Partido-Religião, quem vai lucrar com isso tudo, meus amigos….
Parem com a bobagem do Passe Livre, recolham esses cartazes pela Liberação da Maconha, corram com  essas feministas histéricas e com a ala gay do PT! Fora daí com os abortistas, os adeptos do casamento gay e com a Marcha das Vadias… Chega dessa palhaçada contra a Copa do Mundo – agora é tarde, pô – Mudem o disco desses charlatões do Aquecimento Global…

Espera aí, Milton! Espera aí… Assim quem vai sobrar ?? Abaixo eu digo, bobalhões, quem vai “sobrar”.  
Invadam as ruas aos milhares e pacificamente pedindo a renúncia da presidente da República e eleições gerais em todos os níveis e aí sim, juro por Deus e pelos meus filhos, que eu vou para as manifestações com vocês…

Se não fizerem isso, vão continuar sendo sempre uma grande multidão observadas por sociólogos, historiadores e antropólogos de aluguel… gente que está agora estudando vocês  (sorriam, vocês estão na TV, viu?) e dando entrevistas a procura do significado perfeito…

Porto Alegre, 19 de junho de 2013

3 comments for “A PROCURA DO SIGNIFICADO PERFEITO

  1. Amaro Helio
    27 de junho de 2013 at 10:32

    Já nem sei o que faço. Nao acredito em nenhum politico. Desobediência Civil? Bom dar a cesar o que é de cesar, mas Deus em Primeiro lugar.

  2. David
    20 de junho de 2013 at 22:40

    Salve Robson!
    Há pouco li algo que sintetiza todo este post (e não é d qualquer um não, hein):

    “Os direitos individuais, desvinculados de um quadro de deveres que lhes confira um sentido completo, enlouquecem e alimentam uma espiral de exigências praticamente ilimitada e sem critérios. A exasperação dos direitos desemboca no esquecimento dos deveres. Estes delimitam os direitos porque remetem para o quadro antropológico e ético cuja verdade é o âmbito onde os mesmos se inserem e, deste modo, não descambam no arbítrio. Por este motivo, os deveres reforçam os direitos e propõem a sua defesa e promoção como um compromisso a assumir ao serviço do bem. (…) A partilha dos deveres recíprocos mobiliza muito mais do que a mera reivindicação de direitos” (Papa Bento XVI, Caritas in Veritate, n. 43).

  3. 20 de junho de 2013 at 17:04

    Compartilho do sentimento do articulista: os políticos de sempre estão tentando faturar votinhos aproveitando-se e apropriando-se da indignação cega das massas. Não é ridículo um deputado do PT do Rio pedir CPI dos ônibus, logo ele que é membro do partido da situação?? Base de apoio do governador e do prefeito??

    Temo pelo que vem pela frente!

    Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós, miseráveis pecadores…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *