Aborto Legal: Eugenia Institucionalizada

Comentário: Feliz o homem que aprende com os erros e acertos de seus semelhantes. Sobre o aborto legal, nos países em que ele acontece se veem, na prática, decisões racistas e eugênicas. Os leitores do Non Nise Te! não precisam confiar na minha palavra. Escutem, no entanto, os que sofrem com essa verdadeira praga nos EUA. Desde o aborto institucionalizado, um terço da população negra americana morreu por aborto. Junta essa informação com aquela do “aborto encomendado” por telefone e temos o típico caso de eugenia.


Alveda Celeste King sobrinha do Pastor Martin Luther King

O aborto legal fez nos EUA o que a Ku-Klux-Klan jamais sonhou conseguir: o extermínio de 14 milhões de bebês afroamericanos desde 1962, um terço da população negra atual”.
Conferência: Culture of Live vs. Culture of Death: The Greatest Civil Rights Issue of Today
No Congresso Mundial das Famílias – Madri, 27 de maio de 2012

“A mais óbvia praticante de racismo nos EUA hoje é a Planned Parenthood, uma organização fundada pela eugeniticista Margaret Sanger e recentemente reconhecida por estar pronta a receber dinheiro para matar bebês negros” (fonte aqui).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *