Adotados por homossexuais agradecem Dolce e Gabbana por sua defesa da família composta por pai e mãe

Comentário: quem teria maior autoridade para falar sobre crianças adotadas por duplas homossexuais  do que essas mesmas crianças? Pois bem, 6 pessoas vieram a público defender Dolce e Gabbana por sua defesa da família. Eles dizem que “todo ser humano tem uma mãe e um pai, e cortar isso da vida de uma criança significa roubar a sua dignidade“. Quem teria coragem de contestar essas vidas de sofrimento e alheamento? Ou quem irá acusar os estilistas de homofóbicos?


Adotados por homossexuais agradecem Dolce e Gabbana por sua defesa da família composta por pai e mãe
Stefano Gabbana e Domenico Dolce / Foto Twitter

ROMA, 18 Mar. 15 / 03:40 pm (ACI).- Seis pessoas criadas por casais homossexuais enviaram uma carta aos estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana para exortá-los a continuar defendendo a família natural e o direito das crianças a terem uma mãe e um pai, apesar dos ferozes ataques de parte da comunidade gay internacional que, através do cantor Elton John, lançou um boicote contra a sua marca de roupa e que visa destruir a sua reputação.

A carta foi publicada em asktheBigot.com e os assinantes são cinco mulheres e um gay, vários deles autores de livros que abordam a problemática da criação de crianças em lares homossexuais. “Vocês demonstraram ser extremamente corajosos. Vocês nos deram uma grande inspiração para preparar cartas e envia-las à Corte Suprema contra o matrimônio gay”, expressaram.

À continuação, a íntegra da carta:


Estimados Dolce e Gabbana,

Saudações dos Estados Unidos. Os seis assinantes desta carta fomos todos criados por pais e mães gays e lésbicas. Cinco de nós somos mulheres e um é gay, embora todos criamos nossos filhos com seus pais do sexo oposto.

Queremos agradecer-lhes por darem voz a algo que aprendemos por experiência: Todo ser humano tem uma mãe e um pai, e cortar isso da vida de uma criança significa roubar a sua dignidade, humanidade e igualdade.

Sabemos que os pais homossexuais podem ser amorosos, dado que amamos os nossos pais e eles nos amam. Não obstante, todos nós experimentamos em primeira pessoa a dura reação que segue quando se questiona a visão dominante da “paternidade homossexual” como universalmente positiva.

Sabemos que chegarão a estar sob uma tremenda pressão, especialmente agora quando na Itália e Estados Unidos estão sendo empurrados para ignorar a nossa preocupação pelos nossos direitos a ter uma mãe e um pai, com o fim de agradar ao poderoso lobby gay.

Ninguém recebe ataques mais ferozes de parte do lobby do que aqueles que vêm da própria comunidade gay e questionam as suas políticas: filhos de casais homossexuais, tanto como os gays que os defendem (como vocês dois).

O mais provável é que muitos na comunidade internacional tentem conseguir cancelar os seus espetáculos, censurar os seus anúncios e destruir a sua reputação na internet.

Vocês demonstraram ser extremamente corajosos. Vocês nos deram uma grande inspiração para preparar cartas e enviá-las à Corte Suprema contra o matrimônio gay.

Queremos elogiar a sua coragem e agradecer-lhes por sua inspiração. Também imploramos que não se rendam quando a reação violenta cresça em intensidade. Se vocês se retratarem e se desculparem pelo que disseram, deixarão as crianças de lares homossexuais ainda mais vulneráveis e desacreditadas.

É importante para o nosso bem e para o bem das crianças italianas que não se desculpem ou repensem. Por favor, apoiem a ideia de que todas as crianças precisam estar unidas com suas mães e pais. É um direito humano.

Se podemos ajudá-los de algum jeito, por favor, faça-nos saber. Nem todos somos cristãos, mas queremos enviar a vocês as nossas bençãos e prometer-lhes que seremos compradores por toda a vida de Dolce e Gabbana a partir de agora.

Heather Barwick, colaboradora de Federalista.

Rivka Edelman, Co-autora do Jephthah’s Daughters: Innocent Casualties in the War for Family Equality”.

Katy Faust, redatora em asktheBigot.

Robert Oscar Lopez, Co-autor do Jephthah’s Daughters: Innocent Casualties in the War for Family Equality”.

Denise Shick, autora do “My Daddy’s Secret”.

Dawn Stefanowicz, autora de “Fuori Dal Buio: La Mia Vita Con Un Padre Gay”.

2 comments for “Adotados por homossexuais agradecem Dolce e Gabbana por sua defesa da família composta por pai e mãe

  1. RAIMUNDO CESAR FARIAS ALELUIA
    24 de março de 2015 at 09:55

    MEU CARO PROFESSOR ROBSON, CHEGAMOS A UMA TAL SITUAÇÃO QUE SE DEFENDERMOS O DIREITO DE UMA CRIANÇA TER UM PAI E UMA MÃE PODEREMOS SER ENQUADRADOS COMO HOMOFÓBICOS E AINDA SERMOS PRESOS. ESTOU COM 60 ANOS, PORTANTO NÃO TENHO MAIS RESISTÊNCIA DE IR PARA A CADEIA.

    • 19 de abril de 2015 at 11:05

      Deixe conosco, Raimundo!

      Nós defenderemos seu direito de dizer o que é certo. Mesmo que alguns achem que isso se resolve com cadeia ou algema.

      Abraço!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *