Intolerância ambidestra: defenda sua família

O jornal Gazeta do Povo publicou mais um artigo meu recentemente. Naquela reflexão, ofereço uma abordagem ampla sobre intolerância. Não apenas da intolerância religiosa, que acusa, julga e condena a partir da perspectiva teísta. Também chamo a atenção para a intolerância ateísta, que igualmente ganha contornos judicialistas em tribunais Brasil afora.  E que tem atacado preferencialmente as famílias católicas. A intolerância não reconhece direita nem esquerda. Nem respeita valores e princípios familiares. Eis um extrato de Intolerância ambidestra:

Não se trata de manter ou de rejeitar princípios absolutos. Eles são indevassáveis. Ou não está claro que negar todo absoluto é colocar-se a si próprio na posição de absoluto real? O caso do teísta assassino ou do ateísta judicialista nem sequer toca na questão da necessidade de um absoluto. Essas tragédias tratam tão somente de escancarar a face extrema da intolerância. E a intolerância não reconhece direita nem esquerda. A intolerância prefere a mão dupla e acostumou-se, há muito tempo, a ser ambidestra.

Luz

Para ler o texto completo, vejam aqui.

Robson Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *