Mais uma do Ministério da Saúde

O importante não é a doença, o importante não é combater o câncer

O Ministério da Saúde divulgou novas normas para a mudança de sexo no país. A Portaria no. 859, publicada hoje (31/07) no DOU, baixou a idade para mudança de sexo. Agora, qualquer jovem de 18 anos pode solicitar e sofrer a operação de mudança de sexo, com subsídio do SUS. A efetiva realização da cirurgia depende de acompanhamento médico especializado. Para realizar a cirurgia de mudança de sexo, porém, o candidato tem de começar o tratamento hormonal aos 16 anos! A nova portaria prevê ainda outros tipos de atendimento aos que desejarem submeter-se a esta intervenção cirúrgica.

Noves fora o direito de cada um escolher o que faz com o próprio corpo, algumas questões devem ser refletidas. Não se pode esconder dados científicos ou vender como certo o que a ciência não pode sustentar. Por exemplo, qual a prevalência da geração de cânceres decorrentes de cirurgias de mudança de sexo? Há algumas indicações.

1. A simples pesquisa “transexual  cancer” em sites de busca na internet revela que há algumas incertezas sobre a produção de cânceres de mama em homens que foram transexualizados e tomaram hormônios femininos.

2. A revista de endocrinologia “European Journal of Endocrinology” divulga artigo em que relata o surgimento de carcinomas em indivíduos transexualizados. A administração de hormônios nos pacientes, condição para realizar as cirurgias, é ponto comum nos que sofreram tais malefícios.

3. Em 2012, a revista “World Journal of Surgical Oncology” destaca que apenas 3 artigos, nos últimos 50 anos, tratam de averiguar o câncer em pessoas transexuais. Não é estranho que tão pouco material seja produzido a esse respeito?

Bem, recentemente o Ministério da Saúde, à guisa de combater cânceres, propôs gastar alguns milhões de reais para vacinar crianças por todo o Brasil. Dizem que o combate ao câncer é prioridade médica. Contudo, as cirurgias de mudança de sexo parecem ser carcinogênicas. Muitos são os casos em que um indivíduo transexualizado  E o motivo de não se saber se um paciente submetido a cirurgias desse tipo padece maior risco de ser vitimado de câncer é a falta de pesquisa sobre o assunto. De fato, interesses políticos, quando associados à prática científica, sempre atrasam e prejudicam o avanço da ciência e a vida das pessoas.

As duas recentes decisões do Ministério da Saúde e de seu chefe apontam o viés ideológico de suas ações estratégicas: a cura do câncer ou o bem das pessoas não está em jogo. Afinal, as operações de mudança de sexo podem ser causadoras de cânceres graves, como carcinomas, mas nem por isso o Ministério poupa tempo e investimento. Por que uma instituição combateria uma doença de um lado, enquanto a favorece de outro? Simples, por que o importante não é a doença, o importante não é combater o câncer.

Atualização: O Ministério da Saúde suspende, nesta quarta, 31, a portaria que reduzia a idade para mudança do sexo. Eis a íntegra da nota.

NOTA

O MS suspendeu os efeitos da Portaria nº 859/SAS/MS de 30 de julho de 2013, até que sejam definidos os protocolos clínicos e de atendimento no âmbito do processo transexualizador.

Para tal fim, o Ministério da Saúde convidará representantes dos serviços de saúde que já realizam este processo e especialistas na matéria para definir os critérios de avaliação do indivíduo, de obtenção da autorização dos pais e responsáveis, no caso de faixa etária específica, e de acompanhamento multidisciplinar ao paciente e aos seus familiares, considerando-se, inclusive, o Parecer CFM nº 8/2013, que trata do tema.

 

1 comment for “Mais uma do Ministério da Saúde

  1. Herbert Burns
    1 de agosto de 2013 at 00:07

    Pra quem nunca tem os remédios básicos como anti inflamatórios, estas cirurgias poderão causar um efeito colateral muito grave, explico: Ao ser constatado a falta de remédios básicos, todos os pacientes, independente da cirurgia a que se submeterem se transformarem num cabra macho! Com fala grossa! Então, sugiro que as pessoas que puderem, não descartem os testículos, pois poderão precisar mais tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *