Primeiro Angelus do Papa Francisco

O Santo Padre, Papa Francisco, exalta a misericórdia de Deus em seu primeiro Angelus.

“Deus nunca se cansa de nos perdoar!”


 

PAPA FRANCISCO

ANGELUS

Praça São Pedro domingo, 17 de março de 2013

 

Irmãos e irmãs, bom dia!

Depois do primeiro encontro desta quarta passada, hoje posso direcionar novamente a minha saudação a todos! E sou feliz de fazer neste dia de domingo, no dia do Senhor!

Isto é belo, é importante para nós cristãos: encontrar-nos domingo, saudar-nos, falar-nos, como estamos fazendo agora, nesta praça. Uma praça que, graça aos meios de comunicação, tem as dimensões do mundo.

Neste quinto domingo da Quaresma, o Evangelho nos apresenta o episódio de uma mulher adúltera (cf. Jo 8,1-11), que Jesus salva da condenação a morte.

Comovente a atitude de Jesus: não ouvimos palavras de desprezo, não ouvimos palavras de condenação, mas somente palavras de amor, de misericórdia, que nos convidam à conversão. “Eu também não te condeno: vai e de agora em diante não peques mais!” (v. 11).

Irmãos e irmãs, a face de Deus é aquela de um pai misericordioso, que sempre tem paciência. Já pensaram na paciência de Deus, a paciência que Ele tem com cada um de nós? Essa é a sua misericórdia.

Sempre tem paciência, paciência conosco, nos compreende, nos atende, não se cansa de nos perdoar se soubermos voltar a Ele com o coração contrito. “Grande é a misericórdia do Senhor”, diz o Salmo.

Nestes dias, pude ler um livro de um Cardeal – o Cardeal Kasper, um excelente teólogo – sobre misericórdia. E me fez muito bem este livro, mas não pensem que faço publicidade aos livros dos meus cardeais! Não é assim! Mas me fez tão bem, tão bem… O Cardeal Kasper dizia de ouvir misericórdia, esta palavra muda tudo.

É o melhor que nós podemos ouvir: mudar o mundo. Um pouco de misericórdia torna o mundo menos frio e mais justo.

Temos necessidade de entender bem esta misericórdia de Deus, este Pai misericordioso que tem tanta paciência… Recordamos o profeta Isaías, que afirma que “ainda que nossos pecados fossem vermelho-escarlate, o amor de Deus o tornaria branco como a neve”.
É belo, isto da misericórdia! Recordo, apenas Bispo, no ano e 1992, chegou a Buenos Aires, Nossa Senhora de Fátima e foi feita uma grande Missa para os enfermos. Eu fui confessar naquela Missa.

E quase ao fim da missa Levantei-me porque deveria celebra uma crisma. É vinda até mim uma senhora idosa, humilde, muito humilde, mais de oitenta anos. Eu lhe olhei e disse: “Vovó – porque nós dizemos isso aos anciãos: vovó – a senhora quer se confessar?” Sim, me diz. “Mas se a senhora não tem pecado…” E a senhora disse-me: “Todos nós temos pecados… Mas talvez o Senhor não o perdoará…”. “O Senhor perdoa tudo”, me disse: Segura. “Mas como sabeis, senhora?”“. “Se o Senhor não perdoasse tudo, o mundo não existiria”. Eu senti uma vontade de perguntá-la: “Diga-me, a senhora já estudou na Universidade Gregoriana?” Porque essa é a sabedoria que dá o Espírito Santo: a sabedoria interior para a misericórdia de Deus.

Não nos esqueçamos desta palavra: Deus nunca se esquece de perdoar, nunca!

“Oh, padre, qual é o problema?”. Bem, o problema é que nós é que nos cansamos, nós não queremos, nos cansamos de pedir perdão. Ele nunca se cansa de perdoar, mas nós, às vezes, nos cansamos de pedir perdão. Não nos cansemos nunca, não nos cansemos nunca! Ele é um Pai amoroso que sempre perdoa, que tem um coração misericordioso para com todos nós. E também nós devemos lembrar-nos de ser misericordiosos com todos. Invoquemos a intercessão de Nossa Senhora que teve entre seus braços a Misericórdia de Deus feita homem.

Agora todos juntos oremos o Ângelus […]

Saudações:

Direciono uma cordial saudação a todos os peregrinos. Obrigado pela vossa acolhida e pelas vossas orações. Orem por mim, eu peço. Renovo o meu abraço aos fiéis de Roma e o estendo a todos vocês, que vieram de várias partes da Itália e do mundo, como também a todos que se unem a nós por intermédio dos meios de comunicação. Eu escolho o nome do Patrono da Itália São Francisco de Assis, e este reforça minha ligação espiritual com esta terra, onde – como sabem – está a origem da minha família. Mas Jesus nos chamou a fazer parte de uma nova família: A sua Igreja, e nesta família de Deus, caminhando juntos sobre as vias do Evangelho. Que o Senhor vos abençoe, que Maria vos guarde. Não se esqueçam disso: O Senhor nunca se cansa de perdoar! Somos nós que nos cansamos de pedir perdão.

Bom domingo e um bom almoço!

Tradução adaptada. O original em Italiano pode ser encontrado em:
http://www.vatican.va/holy_father/francesco/angelus/2013/documents/papa-francesco_angelus_20130317_it.html

Helder Oliveira

1 comment for “Primeiro Angelus do Papa Francisco

  1. Amaro Helio
    4 de Abril de 2013 at 13:19

    Que texto profundo, todos católicos deveriam ler esse texto e refletir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *