Yo no creo en los presos; pero que los hay, los hay

Apesar de a intelectualidade brasileira insistir em dizer que Cuba vive em uma democracia, o governo “companheiro ” caribenho admitiu que há presos políticos sob sua tutela. Graças a intervenção de membros da Igreja em defesa dos presos políticos, fortalecendo o movimento Damas de Branco, o presidente Raúl Castro iniciou o que foi chamado pelo Arcebispo de Santiago, Dom Dionisio García, “um processo, e um processo deve começar por pequenos passos”.

Roguemos a Deus que sejam passos céleres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *