Tag: Antropologia Filosófica

G. K. Chesterton – Educação e Sexualidade

Educação e Sexualidade G. K. Chesterton “O efeito de considerar-se o sexo como apenas uma coisa natural e inocente foi que todas as outras coisas naturais e inocentes se tornaram impregnadas e temperadas com o sexo” Fonte: CHESTERTON, G. K. São Francisco de Assis. Campinas: Ecclesiae, 2014, p. 24.  

Hugo de São Vitor – As Potências da Alma

As Potências da Alma Hugo de São Vitor  “Percebemos a presença de três potências da alma, garantidoras da manutenção da vida nos corpos. Uma delas se refere especialmente à administração da vida corporal, porque desde que nascemos torna-se presente, no crescimento do corpo. Tal potência possibilita que cresçamos pela alimentação. Uma segunda potência é a que nos dá condições para captação das percepções sensíveis e julgamento [de nossa tomada de decisão, em face de possibilidades]. A terceira é congregada à…

Arthur Schopenhauer – Representações Inteligíveis

Representações Inteligíveis Arthur Schopenhauer “O homem, pelo contrário, graças à sua capacidade de formar representações não-sensíveis, por meio das quais êle pensa e reflete, domina um horizonte infinitamente mais extenso, que abraça tanto os objetos ausentes como os presentes, o futuro e o passado: oferece êle, por assim dizer, uma superfície bem maior à ação dos motivos exteriores, podendo por conseqüência exercitar a própria escolha entre um número muito maior de objetos do que seja possível ao animal, cujos olhares…

Joseph Ratzinger – Crise de Fé

Crise de Fé Joseph Ratzinger “Não nos iludamos: entrar no eu da fórmula do Credo, transformando o eu esquemático da fórmula em carne e osso do eu pessoal, constituiu sempre um empreendimento emocionante e aparentemente impossível, durante o qual não é raro o eu ser transformado num esquema, em vez de o esquema virar carne e osso. E quando nós, os fiéis dos dias de hoje ouvimos, com certa dose de inveja, dizer que na Idade Média todos por aqui…

Arthur Schopenhauer – Representações Sensíveis

Representações Sensíveis Arthur Schopenhauer Os animais não são capazes senão de “representações sensíveis, não conhecendo senão quando cai imediatamente sob os seus sentidos, vivendo sempre e ùnicamente no círculo restrito do momento presente” Fonte: SCHOPENHAUER, Arthur. O livre arbítrio. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1967, p. 98.

Hugo de São Vitor – Sabedoria e Bem Perfeito

Sabedoria e Bem Perfeito Hugo de São Vitor  Para o autor, a Sabedoria é bem perfeito porque “ao iluminar o homem, a sabedoria faz com que ele conheça a si mesmo, de modo que, conhecendo-se, deixe de pensar ser apenas algo semelhante a todas as outras cosias criadas, notando que de fato foi criado como ser superior” Fonte: SÃO VITOR, Hugo de. Didascalicon: a arte de ler. Campinas: Vide Editorial, 2015, p. 23.

Arthur Schopenhauer – Natureza e Liberdade

Natureza e Liberdade Arthur Schopenhauer “Tôda coisa que é deve ter uma natureza particular característica, graças à qual ela é o que é, natureza essa atestada por todos os seus atos, cujas manifestações são necessàriamente provocadas pelas causas exteriores; por outra forma, contràriamente, esta natureza não é de modo algum obra dessas causa, não sendo modificável por elas. Tudo isso, porém, é tão verdadeiro em relação ao homem e à sua vontade como para todos os sêres da criação” Fonte:…

Matrix e a heresia gnóstica

Fica a dica para o caro crismando sabichão: seja mais humilde. Você não é tão esperto quanto pensa. O cristianismo não tem 2.000 anos de reflexão e doutrina pra um moleque de 16 anos, mascando chiclete e ouvindo Hip Hop, desmascarar sua mentira com uma simples pergunta. Não, você não se funde com Deus depois da morte. Abandone esse mito hollywoodiano de que é possível controlar o tempo e o espaço, como o Neo. Deus não é uma máquina, meu…