Tag: Ética

Ainda Células-Tronco

Novos avanços na pesquisa sobre células-tronco voltaram às manchetes nos últimos dias. Um grupo de cientistas publicou trabalho na revista “New England Jounal of Medicine”, no qual divulgou a recuperação da saúde de olhos cuja visão foi perdida por razão de queimaduras provocadas por produtos químicos. O sucesso foi obtido com a implantação de células-tronco adultas do próprio paciente, o que diminuiu consideravelmente o risco de rejeição, um dos maiores problemas nesse tipo de intervenção médica. Em nenhum dos grandes…

Dogville (Dogville)

Dogville[1] (Diretor: Lars von Trier[2]) Sinopse: O que podemos esperar de uma pequena comunidade, sem muitos recursos materiais, quando recebe um presente inesperado: alguém que necessita de mais ajuda que eles mesmos? Eles acolherão esse presente ou não? Essa é a primeira leitura possível de Dogville (2003) – e talvez a mais simples. Essa é, diríamos, uma abordagem mais imediata. A questão que brota do fundo desse interpretação é sobre eticidade: afinal de contas, a dignidade humana é um valor…

I feel good… tãnãnãnãnãnãnã…

Ver o James Brown dançando é algo mágico! Como não balançar ao som do trompete e saxofone dessa lenda da música mundial? A letra de I Feel Good é um hino ao momento religioso em que vivemos. “Sentir-se bem” é quase a regra geral, o dogma incontestável da espiritualidade contemporânea.  O que chama a atenção é que essa prática não é apenas protestante, mas também entre não poucos católicos essa “norma” espiritual tem gerado mal-estar e confusão, visto ser de…

Ética no Vestuário – I

Na véspera do dia mais importante do ano para os cristãos, no Sábado de Aleluia, reúnem-se em torno do Círio Pascal assembleia e celebrante, rogando a Deus que abençoe o Fogo Novo, aquele que um dia virá novamente, não para aquecer, mas para purgar. Nesta cerimônia belíssima, o celebrante – enquanto fere o Círio com cravos – profere o que para alguns é a bênção mais bela de todo Ano Litúrgico: “Jesus Cristo, ontem e hoje, Alfa e Ômega, Princípio…

Uma luz (?)

Comumente, quando os cientistas  tratam de assuntos éticos, tendem ao materialismo ou ridicularizam o aspecto religioso. No entanto, um grupo de pesquisadores europes, à busca do gene da fidelidade, inclina-se para o aspecto comportamental como peça chave para a análise dos casos de infidelidade. Ainda que a busca inicial tenha seguido o leitmotiv ordinário, a redução do homem ao que é material, as conclusões parecem afastar-se dessa premissa.

Mais uma promessa…

Após a promessa de que com a aprovação da Lei de Biossegurança as doenças genéticas seriam exterminadas e todo tipo de paralisia curado (ainda lembro dos coitados em cadeiras de rodas em Brasília, mera massa de manobra, aguardando o milagre das células-tronco embrionárias), eis que uma nova promessa surge: a vida criada em laboratório! Segundo os respeitáveis tablóides nacionais e internacionais, a partir do último dia 21, o homem pode criar vida, embora ainda não possa estender a própria (sic!).…

Andrei Rublev (Andrei Rublev)

Andrei Rublev[1] (Diretor: Andrei Tarkovsky[2]) Sinopse: Kirill está impaciente. Tomado por uma tristeza profunda contempla os quadros que produziu. Tudo parece vazio. No fundo do coração compara suas obras às do confrade Andrei. Sente inveja. Para ocultar este mal-estar e este ressentimento que vai pouco a pouco o vencendo, rememora passagens da Sagrada Escritura. É neste momento que surge a frase que dá o tom do filme: “Vaidade das vaidades, tudo é vaidade”[3].  Esta talvez seja a seqüência que melhor…