Tag: Filosofia Medieval

A educação medieval segundo o Diário de um estudante, escrito por Walafried Strabo (806-849)

Por Fábio Valentim Não são poucas as vezes que podemos nos deparar com a declaração “A igreja privou o conhecimento na idade média”, essa postura quase orquestrada é bastante comum tanto em sala de aula do ensino fundamental e médio, quanto dentro de uma universidade. E o pior, a curiosa afirmação é dita constantemente por professores que ocupam a cadeira de medieval na academia. Não tenho a intenção com o presente trabalho de ser um advogado da igreja, porém busco…

Ser e Dever-ser: Tomás de Aquino e o Debate Filosófico Contemporâneo – Pré-Venda

O Pe. Anderson Alves, que já colaborou diversas vezes aqui no Site Humanitatis, está lançando um livro pela Editora Raimundo Lúli0, de São Paulo. Trata-se de uma abordagem tomista da filosofia contemporânea. Só por esse tema o livro mereceria ser valorizado por aqueles que se dedicam ao estudo do pensamento humano. Segue o texto de divulgação do livro: Agora você pode reservar o seu exemplar por meio da “compra antecipada”, uma prática tradicional das centenárias editoras europeias, como a Brepols…

André de Muralt – Estrutura do Pensamento

Estrutura do Pensamento André de Muralt “Une structure de pensée n’a de realité que dans la mesure où elle s’exerce dans telle ou telle doctrine historique, étant en effet à l’histoire de la pensée ce qu’est l’essence à l’existence, ou plus exactement la quiddité à l’exercice” Fonte: MURALT, André de. L’enjeu de la Philosophie médiévale. New York: E. J. Brill, 1993, p. XI.

Santo Tomás e Duns Scoto: sobre a Natureza

Fonte:Aquinate.net  O ato de ser é ato intensivo, é ato de todos os atos: eis uma tese realmente original. A novidade tomista do actus essendi ainda não é, mas pode tornar-se uma valiosa ferramenta na hermenêutica das atuais reflexões filosóficas. Tal novidade é, sem dúvida, a maior contribuição do Angélico para a compreensão dos problemas fundamentais mais urgentes, além de ser uma excelente chave de leitura para análise da História da Filosofia. A reflexão acerca deste princípio metafísico, ressaltado primeiramente por…

Agostinho de Hipona – Hermenêutica

Hermenêutica Agostinho de Hipona “Verbum est quod in corde dicimus: quo nec graecum est, nec latinum, nec linguae alicujus alterius” “A palavra é o que dizemos no coração: que não é nem grego, nem latim, nem qualquer outra língua” Fonte: AGOSTINHO DE HIPONA. De Trinitate, XV,  Cap. X, 19.

Metafísica das Paixões

Este sábado, 04 de fevereiro, aconteceu na Paróquia de Nossa Senhora das Dores, no Ingá (Niterói/RJ), palestra sobre a Metafísica das Paixões, em Santo Tomás de Aquino. A palestra teve a duração de 3 horas e tratou de uma introdução geral às paixões que habitam a alma humana, sua caracterização, seus tipos e os remédios utilizados para alguns casos específicos. O princípio que moveu a meditação foi a universalidade das paixões, que tocam a todos os homens. Ao lado do…

André de Muralt – Ser

Ser André de Muralt “Tout ce qui est, est intelligibile selon (ce) qu’il est et non selon (ce) qu’il devient historiquement: l’être, non le devenir, est formellement et de manière immédiatement évidence principe d’intelligibilité, à moins de réduire l’être au devenir, et de dire que tout devient historiquement” Fonte: MURALT, André de. L’enjeu de la Philosophie médiévale. New York: E. J. Brill, 1993, p. 9.