Tag: Pintura Renascentista

Os vícios de Giotto – VI

Ao estudar as paixões da alma, tema que não se pode ignorar quando o assunto é ética, uma questão se coloca: se as paixões são eticamente neutras (como foi dito anteriormente), isto é, se sobre elas não cabe caracterizações sobre sua malícia ou bondade, por que Giotto classifica a ira como vício? Será que há alguma distinção entre a paixão e o vício ira? Os que estudam ética não podem esquecer-se de que a ira é uma paixão especial. E…

Os vícios de Giotto – V

Em um afresco da Capela Arena, em Pádua, é possível ver um uma figura curiosa: um personagem maltrapilho, com algo semelhante a penas sobre sua cabeça, segura um bastão. O personagem, um tanto abobalhado, tem adereços que lembram um selvagem ou algum homem desleixado com sua aparência. Parece ser um desses tipos carnavalescos, que cultuam a natureza ou algo que o valha. A jocosidade da cena pode levar o espectador da obra a achar que este vício é sem importância…

Os vícios de Giotto – IV

Giotto descreve a inconstância como alguém que está sobre uma roda, equilibrando-se com dificuldade para não cair. Para piorar esta situação de insegurança e instabilidade, aquele que é vítima da inconstância está sempre incomodado com problemas, sente-se sempre em dificuldades extremas, reclama ordinariamente de questões aparentemente difíceis, que tiram sua atenção. São ventos que fazem com que o equilíbrio da personagem fique comprometido e são representados no afresco pelo esvoaçar de sua vestimenta. Aparentemente, o inconstante não se incomoda com…

Os vícios de Giotto – III

A reflexão filosófica tratou longamente da tristeza durante os séculos. Como vimos em outros posts, a inveja é um tipo de tristeza que abate o indivíduo pelo bem que cabe atualmente a um outro, como se esse bem a ele pertencesse. Por causa deste equívoco de julgamento (erro de raciocínio, portanto) é que a inveja cega sua vítima para a realidade. Outro tipo de tristeza é o desespero (desperatio).

Os vícios de Giotto – II

A filosofia ensina que a inveja é um tipo de tristeza que abate o indivíduo, por causa de um mal presente. Em certo sentido, mesmo sendo um vício horroroso, a inveja não importa mal direto a ninguém. Pelo contrário, dentre os vícios representados por Giotto, a idolatria (ou infidelidade – infidelitas) é capaz de prejudicar o indivíduo não apenas em relação consigo mesmo, mas também em relação com o outro, negando-lhe algo que é seu direito natural. Se para Giotto…

Os vícios de Giotto – I

A cultura ocidental deve muito dos seus valores e desenvolvimento às reflexões e ao trabalho do cristianimo. Desde a criação das universidades, passando por inovações na arquitetura e, principalmente, na reflexão sobre o que é próprio da humanidade, o ocidente teve avanços significativos graças ao engenho e trabalho de autores cristãos. Um dos momentos ímpares é a Pintura Renascentista. E um dos nomes que fundaram esta escola é Giotto di Bondone. Giotto (1266—1337) foi decisivo na elaboração dos princípios formadores…